Em reunião no auditório da Casa Civil da Bahia, o secretário Bruno Dauster apresentou as ideias do governo estadual para o projeto do novo Porto de Aratu a representantes de empresas potencialmente interessadas na exploração do empreendimento. O objetivo do encontro, realizado nesta sexta-feira (27), é abrir o diálogo e tirar dúvidas dos empresários, a fim de atrair investimentos para o desenvolvimento do projeto.

O projeto prevê a instalação de um Terminal de Uso Privativo (TUP), através da formação de uma Sociedade de Propósito Específico (SPE), em que o Estado estará presente na condição de sócio minoritário e detentor de uma ação do tipo Golden Share. O porto tem previsão de retroárea superior a um milhão de metros quadrados e o terminal terá capacidade para granéis líquidos, sólidos e cargas gerais. Ainda há, próximo ao local, espaço com perfil para implantação de unidades produtivas.

Bruno Dauster destacou a importância do diálogo entre Governo e empresas e explicou o papel do Estado na SPE. “A participação do poder público é estratégica, de modo a garantir ações como acessibilidade, condições de funcionamento permanente, acesso viário, rodoviário e ferroviário”.

O secretário explicou que o Governo está em discussão com a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) sobre uma possível inserção de malha ferroviária chegando até o Porto de Aratu. “A melhoria da infraestrutura é fundamental para o desenvolvimento do estado. Além da nova TUP, estamos estudando a possibilidade de ligar o porto a uma ferrovia, a Ferrovia Centro Atlântica. A ideia é facilitar o escoamento de cargas, tornando a nossa mercadoria cada vez mais competitiva em outras regiões e internacionalmente”.

Além de Dauster, participaram da reunião o coordenador executivo de Infraestrutura e Logística da Casa Civil, Eracy Lafuente, o chefe de gabinete da Secretaria de Infraestrutura, Ivan Barbosa, e representantes da Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SDE) e de nove empresas.

Fonte: Ascom/Casa Civil do Governo da Bahia