A Representação do Governo da Bahia, em Brasília, vai fazer parte do grupo de trabalho que discutirá o desenvolvimento sustentável da Mata Atlântica, na região sul do estado. Também participarão representantes dos ministérios da Educação (MEC) e do Desenvolvimento Agrário (MDA), e do Consórcio Intermunicipal da Mata Atlântica que, em nome da população local, pede apoio ao governo federal para avanços na área.

Nesta quarta-feira (4), o representante do governo baiano, Jonas Paulo, e os integrantes do consórcio no MDA estiveram em reunião com o ministro Patrus Ananias, quando a criação do grupo de trabalho foi acordada – a agenda será intensa.

Eles pretendem produzir um documento conciso a ser entregue à Casa Civil da Presidência da República e ao Ministério das Relações Exteriores (MRE), que é responsável pelo posicionamento que o Brasil apresentará à Organização das Nações Unidas (ONU), dentro dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS), no final deste mês.

Segundo o consórcio, o projeto estruturado para ser executado em oito anos está totalmente alinhado com a busca da ONU. Eles defendem a verticalização da produção agrícola, melhorias na produção do cacau, fruta muito presente na região, educação, desenvolvimento das chamadas ‘cabrucas’, terra onde o plantio é feito, entre outras iniciativas.

“O Governo da Bahia tem dado sustentação a diversas iniciativas na região, a exemplo da produção de chocolate, maquinário e assistência técnica. Achamos importante o apoio do governo federal. O projeto está bem estruturado, com ações de curto, médio e longo prazo”, disse Jonas Paulo.