Há 12 anos, a vida do sub-tenente da Policia Militar, Marcus Seara, mudou completamente. Após passar por uma cirurgia de coluna, o PM perdeu o movimento da perna esquerda. Embora tivessem pessoas que duvidassem da sua recuperação, ele não desistiu de voltar a praticar atividades físicas. Na manhã deste domingo (29), o rapaz de 44 anos se superou, completando os 6,7 quilômetros da Corrida do Fogo, organizada pelo Corpo de Bombeiros, em Salvador.

“Todos tem uma motivação para agir. Eu tive a minha. Comecei a andar, descobri o ciclismo. Hoje realizei minha primeira corrida depois do meu problema, e estou ótimo. Percebi que minha situação não me impede de agir normalmente”, disse Marcus. Assim como o sub-tenente, muitos amantes do esporte completaram o trajeto, que teve início no Quartel do Corpo de Bombeiros, na Avenida ACM, em direção ao Iguatemi, e retorno pela Avenida Bonocô, após subida da Ladeira da Cruz da Redenção e passagem pelo bairro de Brotas.

O competidor, Damião Nonato, 39, foi o vencedor da prova, com um tempo total de 22 minutos. Embora tenha somado mais um troféu para sua coleção, o maratonista destacou o incentivo à saúde como o principal prêmio do evento. Para ele, “a saúde é o nosso bem mais precioso. É muito legal ser o primeiro, e, no meu caso, esse resultado foi fruto de um trabalho alimentação saudável e treinos intensos. Mas em uma corrida como esta, todo mundo sai ganhando com bem-estar e ações de hábitos saudáveis”.

Chapada Diamantina

A Corrida do Fogo é um dos mais tradicionais eventos do circuito de rua de Salvador, sendo realizada há 18 anos em homenagem ao trabalho do Corpo de Bombeiros do Brasil. Neste ano, a comemoração foi ainda mais especial, pela contribuição fundamental para o controle dos incêndios na Chapada Diamantina. “Esse é o coroamento pelas nossas atividades, com a participação da população, que temos o dever diário de proteger”, destacou o major Ramon Diego Pimentel, coordenador do 3º Grupamento de Bombeiros Militares da Bahia (GBM).

Para a garota Beatriz Oliveira Castro, 13, que nasceu sem o movimento das pernas, participar da corrida foi importante para a autoestima. Mesmo percorrendo parte do trajeto até a Igreja Universal, ela passou a se sentir incluída na sociedade. “Mesmo não andando como as outras pessoas, eu sou igual a todas elas. Posso fazer o que elas fazem”.

No evento, estudantes de universidades também realizaram ações de conscientização na sede do Quartel do Corpo de Bombeiros. No local, serviços como aferição de pressão arterial, teste de glicemia e tipagem de sangue foram oferecidos à população, além de orientações sobre prevenção às doenças sexualmente transmissíveis. Para a criançada, a programação reservou diversas atividades recreativas, como basquete, cama elástica e rapel. “Está sendo muito legal. Eu adorei o rapel. Para mim, é mais um desafio ficar lá em cima. O coração bate mais forte, mas é uma sensação boa”, afirmou Heide Anne, 11.

Ação social

As inscrições para a Corrida aconteceram entre os dias 9 e 20 de novembro, no 3º Grupamento de Bombeiros Militares, na Avenida ACM. A taxa de inscrição foi a entrega de duas latas de leite em pó. Com isso, neste domingo (29), a arrecadação chegou a quase mil itens, que serão doados para o abrigo Dom Pedro, no Largo de Roma, em Salvador, e outras três instituições filantrópicos da capital baiana. “A ação é maravilhosa, importantíssima para quem precisa da doação. Só no abrigo Dom Pedro, 72 idosos serão beneficiados com os mantimentos, disse a representante da instituição no evento Josenice Lisboa.

Para o comandante do Corpo de Bombeiros, coronel Francisco Telles, a doação das latas de leite reflete mais uma preocupação do batalhão. “As pessoas vêm os bombeiros apenas como proteção para situações de risco, como incêndio, mas o Corpo de Bombeiros é mais do que isso – estamos aqui para proteger o cidadão de todas as formas que estiverem ao nosso alcance. É assim que devemos pensar”.

Repórter: Leonardo Martins