O sonho de viver a primeira experiência profissional e, a partir dela, se firmar no mercado de trabalho está mais perto de ser realizado entre estudantes baianos. Acompanhado do secretário estadual de Educação, Osvaldo Barreto, o governador Rui Costa assinou, durante o 1º Encontro Territorial de Líderes de Classe, realizado nesta segunda-feira (23), no Hotel São Salvador, na capital, os projetos “Primeiro Estágio” e “Primeiro Emprego”, que fazem parte do Educar para Transformar, e têm como objetivo inserir, nos próximos dois anos, 18 mil alunos de cursos profissionalizantes no mercado de trabalho. Com o “Bolsa Permanência”, outro projeto de lei assinado durante o evento, o Poder Executivo Estadual visa conceder auxílio financeiro a universitários de instituições estaduais como forma de garantir que eles concluam a graduação.

O governador assinou ainda o projeto de lei que cria o Plano Estadual de Educação para melhorar o nível educacional e garantir mais estrutura e qualidade. "Queremos estabelecer metas e indicadores para o setor educacional para os próximos dez anos". Em relação aos projetos Primeiro Emprego e Primeiro Estágio, Rui explicou que a ideia é estimular que a iniciativa privada e prefeituras, juntamente com o conjunto de órgãos do Governo do Estado, ofereçam um total de nove mil vagas (cada projeto), sendo 4,5 mil em 2016 e o restante em 2017. "Além do salário, eles terão todos os direitos garantidos como assistência médica, por exemplo. Queremos valorizar o ensino médio e ampliar o horizonte destes jovens".

De acordo com o governador, ainda hoje, os projetos serão encaminhados para apreciação da Assembleia Legislativa da Bahia (Alba). A iniciativa vai permitir que os estudantes trabalhem na rede estadual de ensino em setores como a biblioteca, laboratório de informática ou até mesmo na área administrativa. O mesmo irá acontecer para o preenchimento de vagas na área de saúde, por exemplo. Pessoas que concluíram a graduação em unidades estaduais da Bahia terão prioridade.

Entre os critérios para preenchimento das vagas do “Primeiro Estágio” e “Primeiro Emprego”, será considerados o rendimento escolar a partir de um banco de dados disponibilizado pelo Serviço de Intermediação para o Trabalho (Sinebahia). Os estudantes terão a possibilidade de atuar em empresas públicas e privadas por meio de contrato de estágio, aprendizagem ou primeiro emprego.

Já a “Bolsa Permanência” será destinada para os matriculados nos cursos de graduação presencial das universidades estaduais. Com a medida, o Governo do Estado pretende minimizar as desigualdades sociais e contribuir para a diplomação dos estudantes de baixa renda, que poderão usar os recursos para custos com transporte, alimentação e moradia, por exemplo.

Para a execução dos projetos serão utilizados recursos do Fundo Estadual de Combate e Erradicação da Pobreza (Funcep). Por esta razão, o Governo já encaminhou à Alba a proposta que garante a ampliação do fundo através do realinhamento de 2% das alíquotas de ICMS que incidem em cigarros, cigarrilhas, charutos, fumos industrializados, perfumaria, cosméticos, energéticos, isotônicos e refrigerantes.

Encontro

Durante o evento, os estudantes que são líderes de classe puderam debater temas como a redução da maioridade penal, além de trocar experiências sobre liderança estudantil. Também participaram profissionais da educação de Salvador e região metropolitana.

Estudante e líder do 2° ano do Colégio Estadual Senhor do Bonfim, nos Barris, na capital baiana, Ariele aprovou a realização do encontro, que, a exemplo dos programas propostos pelo Governo, é mais uma ação do Educar para Transformar. "Falamos bastante sobre a importância que tem o líder para a escola. Facilita bastante a comunicação entre aluno, direção e coordenação".

De acordo com Ariele, os líderes de classe estão aproveitando o encontro para trocar experiências. "Descobri várias coisas novas que posso levar para a minha escola. Eles também podem levar [compartilhar] coisas [projetos] da minha escola para a escola deles, fazendo com que o ambiente escolar amplifique, cresça e melhore cada vez mais".

Para Flávia Carvalho, diretora da Escola Estadual Filadélfia, no bairro de Águas Claras, também na capital, é fundamental incentivar que os jovens se organizem e apresentem seus anseios. "Eles vão levar essa discussão para as escolas. Enquanto gestora, apoio e incentivo a participação deles em todas as ações da escola. Isso é extremamente importante para a juventude".

O secretário de Educação Osvaldo Barreto observou que a escolha dos líderes de classe realizada em todas as escolas da rede estadual, resultou na escolha de 36 mil líderes de classe, entre titulares e suplentes. "A partir de então, a secretaria vem desenvolvendo um programa de trabalho que incentiva estes jovens a ter uma participação ativa, maior protagonismo na construção de sua escola. Acreditamos que uma boa educação só se faz com uma boa escola".

Na oportunidade, o governador Rui Costa conheceu alguns projetos desenvolvidos por estudantes sob a orientação de professores da rede, entre eles, o de confecção de instrumentos musicais e objetos de decoração feitos em papel.

O secretário de Cultura do Estado, Jorge Portugal, entre outras autoridades, também participou do encontro. Para reafirmar a importância do mês da Consciência Negra, um grupo de estudantes do Colégio Estadual Antônio Sérgio Carneiro, localizado no bairro do Arenoso, apresentou uma coreografia para a canção Pérola Negra, do Ilê Aiyê, executada na voz de Daniela Mercury.

Aluna do 7° ano, Tauana Santos explicou a escolha da canção. "Escolhemos esta música porque ela fala de nós negros, que somos uma pérola negra, para representar o Novembro [Negro] e também para homenagear o governador. Não deve existir preconceito na dança e em nada".

Repórter: Jhonatã Gabriel/GOVBA