O líder de classe Diego Vieira, do Colégio Estadual de Brumado, no centro sul, um dos integrantes da mesa de abertura do Seminário de Avaliação do Pacto pelo Fortalecimento do Ensino Médio, iniciado nesta quarta-feira (4), em Salvador, defendeu os estudantes da rede pública. Ele destacou a importância do programa realizado pela Secretaria da Educação do Estado em parceria com o Ministério da Educação (MEC).

“Ser líder é muito importante porque a nossa representatividade acaba chamando a atenção da sociedade para os nossos anseios e conquistas, e o Pacto foi muito importante nesse processo de valorização da participação estudantil nas decisões escolares”, enfatizou o estudante. O evento acontece até esta quinta (5) com a presença de líderes estudantis, além de representantes da Universidade Federal da Bahia (Ufba), coordenadores e formadores.

A coordenadora geral do Pacto pelo Fortalecimento do Ensino Médio, Valuza Saraiva, enfatizou que o processo formativo dos professores no programa tem sido potencializado pela participação dos estudantes. “A eleição de 33 mil líderes de classe foi um dos resultados positivos do Pacto, bem como o fortalecimento dos momentos de atividades complementares nas escolas”.

O diretor da Faculdade de Educação da Ufba, Cleverson Suzart, destacou que a parceria entre a secretaria e a universdide tem configurado em importantes ações que buscam a melhoria do ensino. “A autoridade da mesa, hoje, é o estudante Diego, porque todo o trabalho que está sendo desenvolvido é dirigido para os alunos, a razão do existir da escola. O sucesso do Pacto está, sobretudo, na articulação direta com os professores que estão em sala de aula”.

Transformação no ambiente escolar

Líder de classe e aluna do 2º ano do Colégio Central de Ribeira do Pombal, no nordeste baiano, Gilvana Dantas, opinou sobre a importância do Pacto pelo Ensino Médio e as mudanças que aconteceram na escola, a partir do programa. “Percebi que os estudantes estão mais comprometidos com o aprendizado porque os projetos interdisciplinares despertam mais interesse. Foi o caso do projeto sobre educação alimentar e nutricional que envolveu todas as áreas de conhecimento, melhorando o aprendizado e a relação entre nós, alunos. Estamos bem mais motivados com esta nova forma de promover a educação”.

A ressignificação do ambiente escolar, dentro da proposta do Pacto, foi enfatizada também pela professora de Redação e Português do Colégio Estadual Luiz Viana Filho, em Irecê, no centro norte, Solange Maciel. “Estou há 22 anos no Estado e este foi um dos programas mais impactantes para as escolas, porque não só fomentou a necessidade de uma mudança profunda no ambiente escolar, para que acontecesse um trabalho com a integração das diversas áreas do conhecimento, como também possibilitou a democracia na escola com a participação dos estudantes nas decisões de todos os projetos”. Segundo ela, o Pacto trouxe “um maior envolvimento da comunidade escolar e dos pais dos alunos, proporcionando uma aprendizagem mais significativa e comprometida”.

Programa

Resultado de uma parceria que também envolve a Ufba e a Universidade do Vale do São Francisco (Univasf), o Pacto pelo Ensino Médio Bahia tem como objetivo promover a valorização da formação continuada dos professores e coordenadores pedagógicos.  As formações são realizadas nas próprias unidades escolares durante o tempo destinado às atividades complementares. A partir do programa são construídas políticas educacionais voltadas para o fortalecimento das unidades escolares, e a participação das universidades tem sido fundamental no processo de fortalecimento da educação básica na rede estadual.

Fonte: Ascom/Secretaria da Educação do Estado