Os estudantes dos colégios estaduais João das Botas, no bairro da Barra, Manoel Devoto, no Rio Vermelho, e Lomanto Junior, em Itapuã, tiveram uma aula de História diferente nesta quarta-feira (4). Eles fizeram um tour do conhecimento por pontos turísticos e patrimônios históricos da capital com o projeto ‘Aula Viva’. A iniciativa envolve professores da disciplina das três unidades, em parceria com alunos do curso de História que fazem parte do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (Pibid), da Universidade Federal da Bahia (Ufba).

A viagem pela história da Bahia começou pelo Farol da Barra, seguindo pelo Dique do Tororó e a Avenida Contorno, onde está localizado o Museu de Arte Moderna da Bahia (MAM-BA). Logo em seguida, passaram pelo Mercado Modelo, Elevador Lacerda e subiram até a Praça Municipal e a Praça da Cruz Caída, lugar de acesso a diversos museus e ambientes culturais localizados no entorno. Estes espaços ajudam a contar um pouco da história do Brasil.

O ponto principal foi a visita ao Museu da Misericórdia, instalado em um prédio antigo erguido no século 17 e tombado em 1938. No local, os estudantes apreciaram pinturas, esculturas originárias de Portugal e do Brasil e objetos decorativos como móveis históricos, a exemplo da cadeira onde Dom Pedro II se sentava e uma escrivaninha que pertenceu ao diplomata, escritor, político e jurista Rui Barbosa.

Experiências

As estudantes Stefanie Jesus, 16 anos, e Maiara Sampaio, 16, do Colégio Estadual João das Botas, Andreza dos Santos Bispo, 18, e Larisse Coutinho da Silva, do Colégio Estadual Manoel Devoto, além de serem estudantes de nível médio, tem algo em comum – entraram pela primeira vez em um museu. “Mudei minha visão sobre museus, pois achava que era algo chato e sem graça, e me surpreendi”, disse Stefanie Jesus. Maiara Sampaio afirmou que o passeio enriqueceu seu conhecimento. “Neste percurso aprendi muito mais do que eu podia imaginar”.

Andreza Bispo revelou que, dos locais visitados, só conhecia o Mercado Modelo. “Gostei bastante porque foi uma experiência diferente e que vai ajudar muito nas provas de História e na vida”. Para Larisse Coutinho, a atividade extraclasse foi muito importante. “Nós, que somos moradores de Salvador e baianos, temos o direito de saber sobre a nossa história e foi muito gratificante saber como eram as coisas antigamente”.

Ensino e aprendizagem

De acordo com a professora de História do Colégio Estadual João das Botas, Nina Rosa Casagrande, as aulas de campo favorecem a percepção da própria realidade do aluno em relação a sua cidade. “Essa atividade, que vai além dos livros e da sala de aula, permitiu que os estudantes conhecessem de perto o patrimônio histórico da cidade e refletisse sobre a conservação desses espaços ricos em cultura e informação”.

Ela também informou que, a partir do conhecimento obtido no passeio, os alunos irão participar de um concurso de fotografia na escola com a temática ‘Educação e Direitos Humanos formando para o respeito ao patrimônio público’. “Os alunos vão fotografar e filmar algumas situações sobre o tema e compartilhar com os colegas”.

Segundo Murila Carneiro, bolsista do Pibid História, da Ufba, e que acompanha os estudantes do Colégio Estadual João da Botas, na sala de aula, esse passeio foi fundamental. “Um momento de integração em que eles aprenderam de forma lúdica e eu, como futura professora, também aprendi um pouco com eles”.

Fonte: Ascom/Secretaria da Educação do Estado