‘Os desafios na implementação da política da pessoa com deficiência: a transversalidade como radicalidades dos Direitos Humanos’. Este é o tema central da IV Conferência Estadual dos Direitos da Pessoa com Deficiência, que a Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SJDHDS) e o Conselho Estadual dos Direitos da Pessoa com Deficiência (Coede) realizam desta quarta a sexta-feira (2 a 4), no Hotel Fiesta, no bairro do Itaigara, em Salvador.

O credenciamento dos participantes começa na quarta, a partir das 14h. A abertura oficial do encontro ocorre quinta (3), às 17h, com apresentação do Grupo Instrumental do Cais, formado por integrantes da Educação Especial do Núcleo de Práticas Orquestrais do Neojiba, Sesi Itapagipe. No evento serão eleitos os delegados que representarão a Bahia, na IV Conferência Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência, que acontece em Brasília no mês de abril de 2016.

Delegados territoriais

Conferência Estadual é o resultado das 27 conferências realizadas nos territórios de identidade da Bahia. Ao todo, 278 delegados territoriais que, durante os três dias, irão debater e aprovar proposições de políticas públicas para a defesa dos direitos da pessoa com deficiência. O documento aprovado na etapa estadual será apresentado na IV Conferência Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência, em Brasília, no mês de abril de 2016.

O titular da SJDHDS, Geraldo Reis, disse que “a realização das 27 conferências territoriais, que culminam na etapa final da conferência estadual, representa uma conquista histórica para o movimento de inclusão da pessoa com deficiência e comprova a ampliação de espaços no cenário político do nosso estado”.

Eixos temáticos

De acordo com o superintendente dos Direitos da Pessoa com Deficiência da secretaria da SJDHDS, Alexandre Baroni, o objetivo do encontro é “discutir e aprovar proposições, que permitam vencer os desafios na efetivação das políticas públicas da pessoa com deficiência, para transformar a sociedade em que vivemos em um lugar de todas as pessoas, indistintamente”.

A metodologia de trabalho da Conferência Estadual prevê a discussão das propostas em três eixos temáticos – Gênero, raça e etnia, diversidade sexual e geracional; Órgãos Gestores e Instâncias de Participação Social; e A interação entre os Poderes e os entes federados.

Fonte: Ascom/Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SJDHDS)