Nesta quinta-feira (5), Dia da Cultura, o Museu Tempostal, que faz parte da Diretoria de Museus do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural (Dimus/Ipac), vinculados à Secretaria de Cultura do Estado (Secult), comemora 18 anos de práticas culturais na cidade de Salvador. Para celebrar a data, o Grupo Samba de Roda Renascer, composto por integrantes das Obras Sociais Irmã Dulce, realiza uma apresentação musical, às 15h, na sede do museu, na Rua Gregório de Mattos, 33, Pelourinho, Centro Histórico de Salvador.

Em 1995, o Governo do Estado, por meio das secretarias estaduais de Cultura (Secult) e do Turismo (Setur), adquiriu a coleção particular de Antônio Marcelino do Nascimento, construída com perseverança durante 40 anos. O acervo é apresentado ao público desde 5 de novembro de 1997, data em que foi inaugurado o Museu Tempostal em um sobrado do século 19, antigo ponto comercial do conde português Pereira Marinho.

O acervo do Museu Tempostal é composto por postais, estampas e fotografias, em sua maioria, procedentes da coleção de Antônio Marcelino do Nascimento. As peças, datadas do final do século 19 e meados do século 20, representam imagens de valor histórico, artístico e documental da Bahia, do Brasil e diversos países do mundo, sobre as mais variadas temáticas. Os destaques das coleções são as imagens representativas da Bahia Antiga, os cartões-postais da Belle Époque, que chamam a atenção pela variedade dos materiais nos quais foram confeccionados, e as Estampas do Sabonete Eucalol.

Fonte: Ascom/Diretoria de Museus do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (Dimus/Ipac)