Um dos grandes sucessos do Bando de Teatro Olodum, o espetáculo ‘Ó Paí, Ó’, com direção de Márcio Meirelles, é a atração deste mês do projeto Domingo no TCA, com apresentação neste dia 29, às 11h, na Sala Principal do Teatro Castro Alves. Os ingressos, a R$ 1(inteira) e 0,50 (meia), serão vendidos a partir das 9h, somente no dia do evento, com acesso imediato do público ao teatro. A apresentação também celebra o Mês da Consciência Negra.

Reconhecido em todo o Brasil, inclusive com versões para o cinema e para a televisão, o espetáculo foi montado pela primeira vez em 1992, mas a peça permanece sempre atual, pela síntese que faz do modo de ser e sobreviver dos moradores e frequentadores do Maciel Pelourinho, no Centro Histórico de Salvador.  O Domingo no TCA é uma iniciativa Secretaria de Cultura do Estado (SecultBA), por meio do Teatro Castro Alves e da Fundação Cultural (Funceb).

O elenco da peça é formado pelos atores Rejane Maia, Jorge Washington, Luciana Souza, Ednaldo Muniz, Cassia Valle, Valdineia Soriano, entre outros. O texto foi construído por Meirelles por meio de improvisações com o elenco do Bando. As músicas originais e a direção musical são de Jarbas Bittencourt, a coreografia de Zebrinha, a iluminação de Rivaldo Rio, o espaço cênico e o figurino de Marcio Meirelles e Zuarte Junior.

Espetáculo

O curioso título ’Ó Paí, Ó’, deriva da expressão popular das ruas de Salvador, uma corruptela de ‘Olhe para isso, olhe. No palco, os personagens vivem um dia especial, a tradicional Terça da Benção, quando a movimentação na área é ampliada e também as alegrias e sofrimentos dos moradores de uma região estigmatizada e abandonada pelas autoridades.

A realidade do Pelourinho Antigo é apresentada por meio desses moradores, que dividem o ambiente de um pequeno cortiço, tendo que enfrentar a intolerância de Dona Joana, a religiosa proprietária. São músicos, artistas plásticos, prostitutas, travestis, baianas de acarajé, proprietários de pequenos bares, associações comunitárias, blocos afros, enfim, personagens reais que, pouco a pouco, foram expulsos do local para dar espaço a um fictício shopping a céu aberto.

Tudo retratado com criatividade, consciência racial, humor e deboche, marcas definitivas das produções do Bando de Teatro Olodum, que há mais de duas décadas reside no Teatro Vila Velha, já tendo realizado mais de 20 montagens, milhares apresentações, com atuações no cinema, televisão e turnês por diversos continentes.

Fonte: Ascom/Teatro Castro Alves (TCA)