A Superintendência de Fomento ao Turismo (Bahiatursa) patrocina o projeto Novembro Negro no Muncab – Arte e História, que inaugura três exposições nesta segunda-feira (30), às 17h, reunindo o acervo do Museu Nacional da Cultura Afro-Brasileira e trabalhos dos artistas plásticos J. Cunha e Alberto Pita. Apesar de diferentes na proposta, as exposições têm em comum a ênfase na valorização e difusão de aspectos da cultura de matriz africana, destacando a sua influência sobre a cultura brasileira.

Segundo o superintendente da Bahiatursa, Diogo Medrado, o Muncab, que ocupa o prédio do antigo Tesouro, é de grande importância para o turismo por sua representatividade voltada à manutenção da identidade cultural da Bahia. “Os visitantes ficam maravilhados com as tradições, os costumes e o acervo cultural do local”.

Ele enfatiza que recentemente a Bahiatursa realizou uma palestra sobre o turismo étnico-afro, como parte das comemorações do Mês da Consciência Negra. O objetivo é fomentar iniciativas para o desenvolvimento do segmento na Bahia. “O patrocínio ao projeto Novembro Negro no Muncab alia-se a essa iniciativa como uma forma de manter sempre presentes nossas heranças e referências, que devem ser apresentadas e exaltadas perante os turistas do mundo todo”.

As exposições colaboram para a construção de um lastro cultural africano na Bahia e no Brasil. Códice Brasil África é o nome da mostra do artista plástico baiano J. Cunha, que apresenta quatro instalações – Códice, Piracema, Orábulos e Futbólia. A segunda exposição, Oyá Balé Contra as Intolerâncias, realizada pela entidade cultural Cortejo Afro, reverencia a participação de mulheres negras na Revolta dos Búzios e nas lutas diárias. A terceira – ‘Arte e História da Cultura Afro Brasileira’ -, reúne cerca de 260 peças adquiridas pelo Muncab para compor o seu acervo inicial.

Fonte: Superintendência de Fomento ao Turismo (Bahiatursa)