Um total de nove projetos de música e filarmônicas, sediados nos municípios de Porto Seguro, Santa Cruz Cabrália, Conceição do Coité, Serrinha, Capim Grosso e Jacobina, foram contemplados com as ações de intercâmbio e cooperação propostas pela Rede de Projetos Orquestrais da Bahia em 2015. Como resultado, a Bahia conta, a partir de agora, com Orquestras Regionais em três Territórios de Identidade – Sisal, Piemonte da Diamantina e Costa do Descobrimento.

A Rede de Projetos Orquestrais da Bahia foi criada em 2013 e se constitui como espaço de articulação entre o programa Neojiba e seus parceiros no interior do estado. Em 2015, a rede criou um ambiente de cooperação mútua entre parceiros que trabalham com formação e prática musical coletiva em um mesmo território de identidade para a constituição de Orquestras Regionais.

A iniciativa também ofereceu qualificação no campo da gestão às lideranças de projetos musicais e filarmônicas e consultoria individual para elaboração de projetos e captação de recursos. Além disso, promoveu workshops para construção de instrumentos a partir de materiais alternativos e lutheria, e desenvolveu ações diversas de intercâmbio musical entre os músicos sediados no interior do estado e àqueles que atuam como multiplicadores do Núcleo de Gestão e Formação (NGF) do Neojiba em Salvador.

O resultado deste percurso formativo poderá ser apreciado pelo público nos meses de novembro e dezembro, durante as apresentações públicas das três Orquestras Regionais nas cidades de Porto Seguro, Jacobina, Serrinha e Conceição do Coité. O primeiro concerto será realizado no domingo (29), às 17h, quando a Orquestra Regional da Costa do Descobrimento se apresenta no Auditório da Universidade Federal do Sul da Bahia, em Porto Seguro.

A Orquestra é formada por 89 músicos dos projetos Musicart, da Associação de Mães Educadoras (Ame) de Porto Seguro; do Ambiente Musical do Instituto Amigos de Santo André (IASA) de Santa Cruz de Cabrália; do Núcleo de Prática Orquestral e Coral (NPO) do Neojiba em Trancoso, e por um grupo de jovens músicos de Porto Seguro. Nesse primeiro concerto, a Orquestra irá apresentar ao público sete peças clássicas e populares. Entre elas, composições da coletânea tradicional europeia, escritas pelo russo Tchaikovsky e o alemão Johannes Brahms, e outras brasileiras como Garota de Ipanema e Berimbau. O repertório é fruto de muito trabalho desenvolvido ao longo de cinco finais de semana, entre os meses de junho a novembro, durante a edição 2015 das Caravanas Pedagógicas da Rede de Projetos Orquestrais da Bahia.

Integração

Para o maestro Marcos Rangel, a união de diversos projetos, cada um com suas características e singularidades, possibilita que a Orquestra Regional da Costa do Descobrimento seja um grupo que represente muito bem as várias comunidades da região Sul da Bahia. “A integração entre estes vizinhos, que outrora se encontravam tão distantes, foi sentida já no primeiro ensaio. A energia que os integrantes trouxeram, além de suas curiosidades e vontade de compartilhar, tornou os ensaios uma verdadeira aula de cidadania, solidariedade e gentileza. O que vivemos foi uma mobilização coletiva para o bem comum”, revelou o músico, que também atua como coordenador do NPO Trancoso do Neojiba.

Marcos Rangel acrescentou que o público poderá apreciar mais do que uma apresentação musical. “Projetos singulares como esse fazem com que a criança e adolescente entendam que a generosidade e o comprometimento geram na música um sentido muito mais que artístico, mas também social e educativo. Essa energia estará em cada som, em cada gesto, em cada intenção, levando as pessoas a sentirem o que nós, que tocamos, já sentimos: o verdadeiro poder da música, que é o de transformar vidas”.

A Rede de Projetos Orquestrais da Bahia realiza as Caravanas Pedagógicas 2015 com recursos da Lei Federal de Incentivo à Cultura e patrocínio da CCR Metrô Bahia.