Com uma história que envolve desde desenvolvimento na economia à fundação de centros tecnológicos e instituições de pesquisa no Brasil, o Programa Nacional do Álcool (Proálcool) completa 40 anos. Ao criá-lo, o físico e engenheiro baiano José Walter Bautista Vidal, que faleceu em 2013 e tem seu nome no prédio do Parque Tecnológico da Bahia, buscou reduzir a dependência do petróleo, substituindo os combustíveis dele decorrentes.

Bautista Vidal é ainda o idealizador do motor a álcool, junto com o engenheiro Urbano Ernesto Stumpf. Especialista em produção de energia limpa, ele foi o primeiro secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação do Brasil, pela Bahia, além de ter sido secretário de Tecnologia Industrial do Ministério de Indústria e Comércio. “Bautista Vidal deixou um legado tecnológico que gerou impacto nacional e internacional ao contribuir para o avanço científico. A nomeação do Tecnocentro é o reconhecimento pelos importantes serviços prestados à Bahia e ao País”, afirma o coordenador de gestão do Parque Tecnológico, Péricles Magalhães.

O Proálcool tem suma importância para a indústria de biocombustíveis. O País é produtor em larga escala da cana de açúcar, a matéria-prima mais eficiente para produzir o álcool, o que fornece ao mercado uma alternativa mais barata para o consumo. O programa contribuiu para a menor extração de combustíveis fósseis, diminuição na emissão de gás carbônico e outros gases poluentes.

Fonte: Ascom/Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti)