Cerveja de umbu, linguiça de tilápia, licuri caramelizado, doces e geleias, defumados, mel, chocolate, cachaça artesanal, mariscos, artesanato, moda e uma infinidade de iguarias produzidas pela agricultura familiar baiana, poderão ser conferidos na VI Feira Baiana da Agricultura Familiar e Economia Solidária (Febafes), entre os dias 28 de novembro e 6 de dezembro, no Parque de Exposições Agropecuárias de Salvador.

A Febafes integra a 28ª edição da Feira Internacional da Agropecuária (Fenagro), que vai ser lançada, nesta terça-feira (24), durante encontro com a imprensa, no restaurante Fogo de Chão, no bairro do Rio Vermelho, em Salvador. A Feira da Agricultura Familiar é promovida pela Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR) e a União Nacional das Cooperativas da Agricultura Familiar e Economia Solidária (Unicafes).

O objetivo do evento é conceber um espaço para promoção, divulgação e comercialização dos produtos dos empreendimentos da agricultura familiar e da economia solidária, além de promover a capacitação dos expositores e agricultores familiares. A feira terá 150 estandes de cooperativas e associações, praça de alimentação, praça de comunidades e povos tradicionais, espaço de produtos orgânicos e espaço cultural, tudo organizado por territórios de identidade do estado.

Produtos da economia local, cultura, culinária e belezas naturais vão ser apresentados durante os nove dias de evento. No espaço, os visitantes da Febafes vão poder degustar, comprar e conhecer um pouco mais sobre os produtos da agricultura familiar diretamente de suas origens.

Diversidade e inclusão

A feira também é importante espaço de formação e capacitação dos participantes, por meio de cursos, palestras, oficinas e seminários, com extensa programação e temas voltados para o fortalecimento da agricultura familiar, do empreendedorismo e da economia solidária no estado. Além da comercialização nos estandes, os expositores participam de rodadas de negócios com empresários de redes hoteleiras, supermercados, bares, restaurantes dentre outros potenciais consumidores desses produtos.

A Feira da Agricultura Familiar foi planejada para fortalecer as ações de agricultores familiares, empreendimentos da economia solidária, pequenos produtores assentados dos Programas de Reforma Agrária e Crédito Fundiário, quilombolas, indígenas, cooperativas, associações e redes de comercialização, técnicos, profissionais, pesquisadores, professores, estudantes, gestores públicos de diversas instituições dos municípios, estados e União.

Maior população rural

De acordo com o último censo agropecuário (2006), a Bahia concentra a maior população rural do Brasil, com 3,9 milhões de habitantes. O estado também reúne o maior número de estabelecimentos da agricultura familiar, com aproximadamente 700 mil propriedades.

A agricultura familiar é responsável por 77% dos alimentos que chegam à mesa das famílias baianas. A atividade responde por 44% de tudo que se produz na agropecuária baiana, com o Valor Bruto da Produção (VBP) anual de R$ 3,74 bilhões. A agricultura familiar também responde por 81% da mão de obra das famílias no campo.

Têm destaque na agricultura familiar produtos derivados do cultivo da mandioca, mel, leite, pesca e aquicultura artesanal, fruticultura, oleaginosas e caprinovinocultura. O trabalho é organizado por associações e cooperativas de agricultores familiares que produzem, industrializam e comercializam a produção nos diversos segmentos de mercado, a exemplo do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) e do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), além de outros segmentos do mercado nacional e internacional.

Fonte: Ascom/Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR)