A Fundação Nacional de Saúde (Funasa) é o mais novo órgão público a aderir ao Recicla Já Bahia, programa de coleta seletiva desenvolvido pela Superintendência de Patrimônio (Supat) da Secretaria de Administração do Estado (Saeb). Dez funcionários do órgão vinculado ao Ministério da Saúde já passaram pelo processo de capacitação para atuar como multiplicadores do programa e a equipe responsável pelos serviços de limpeza da unidade, nos bairros da Vitória e da Graça, também foi treinada.

A previsão é que o programa esteja inteiramente implantado a partir do próximo dia 18, quando a cooperativa de reciclagem Cooperes iniciará o trabalho da coleta dos resíduos na unidade. “Para marcar a implantação, a Funasa vai promover um café da manhã, com o objetivo de motivar e conscientizar ainda mais as equipes”, explica a coordenadora do Recicla Já Bahia, Vanuza Gazar dos Reis. A Funasa é a 153ª unidade a ser atendida pelo Recicle Já Bahia em todo o estado, entre secretarias de governo, autarquias e outras instituições públicas municipais, estaduais e federais. Até o final do ano, a coleta deverá ser implantada também na Agência Brasileira de Inteligência (Abin).

Consciência ambiental

De janeiro a agosto deste ano, o Recicle Já Bahia foi responsável pela coleta de 769 toneladas de resíduos, com a média de 85,4 toneladas por mês. O número representa um crescimento de 32,2% em relação ao mesmo período do ano passado, quando foram coletadas aproximadamente 521 toneladas. “É visível o aumento da consciência ambiental dos servidores. Quando começamos o programa, era comum haver resistência. Hoje, ao chegarmos numa nova unidade, eles questionam porque o serviço ainda não havia sido implantado”, diz Vanuza.

Criado em 1999, o programa de coleta seletiva surgiu inicialmente apenas para atender às unidades instaladas no Centro Administrativo da Bahia (CAB), tendo ampliado progressivamente o escopo de suas atividades. O objetivo da iniciativa é promover a consciência em relação aos resíduos gerados no ambiente de trabalho, além de gerar renda para os catadores e reduzir o impacto dos resíduos no meio ambiente.

O trabalho de coleta dos materiais recicláveis é feito atualmente por 13 cooperativas, contemplando Salvador e mais 34 municípios baianos. O programa realiza também a coleta de livros didáticos irrecuperáveis e desatualizados, carteiras inservíveis em escolas públicas estaduais, resíduos eletrônicos e óleo de fritura dos restaurantes.

Fonte: Ascom/Secretaria da Administração do Estado (Saeb)