Recursos para o anteprojeto do Canal do Sertão Baiano foram aprovados pelo Ministério da Integração, com a liberação de R$ 13,7 milhões oriundos da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf). A esse montante somam-se outros R$ 12 milhões do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), já aplicados, totalizando R$ 25,7 em investimentos para a conclusão do anteprojeto e Estudo de Viabilidade Técnica Ambiental (EVTA).

O anúncio foi feito pelo vice-governador, João Leão, nesta segunda-feira (16), após receber nota de empenho com a liberação da primeira parcela no valor de R$ 7,9 milhões. Considerado o projeto de maior relevância para a infraestrutura hídrica do estado, o Canal do Sertão vai beneficiar 40 municípios baianos, atendendo prioritariamente ao abastecimento humano, além de contribuir para dessedentação animal, sustentabilidade para atividades da pecuária e revitalização de projetos de irrigação.

Para o secretário estadual de Infraestrutura Hídrica e Saneamento, Cássio Peixoto, algumas intervenções deverão favorecer o Canal do Sertão, promovendo a otimização dos recursos utilizados, por exemplo, em usinas para produção de energia nos parques eólicos, entre outras ações. “As obras de infraestrutura hídrica precisam estar alinhadas ao uso eficiente da água, democratizando o acesso a esse bem público em todo o estado”.

Peixoto enfatiza ainda que garantir segurança hídrica para os baianos está entre as metas principais do governo baiano. A liberação dos recursos para a conclusão do anteprojeto, segundo ele, “sinalizam o olhar cuidadoso do governo federal com a realidade dos municípios da região que captam água no Rio São Francisco”.

A obra, também batizada como transposição do Eixo Sul do Rio São Francisco, vai percorrer mais de 300 quilômetros, tendo o trecho inicial de 20 quilômetros entre as cidades de Juazeiro e Senhor do Bonfim. O governo estadual tem pressa para iniciar as obras, que devem somar R$ 4,9 bilhões em investimentos.

Fonte: Ascom/Secretaria Infraestrutura Hídrica e Saneamento (SIHS)