Há uma série de mitos quando o assunto é localizar pessoas desaparecidas. Não é preciso esperar 48 horas, por exemplo. Com o DPP Itinerante, o registro pode ser feito na hora. A viatura, que nesta quinta-feira (14), até às 16h, realiza cadastro de ocorrências na Estação Mussurunga, em Salvador, foi a oportunidade da vendedora Lindinalva Cardoso procurar ajuda para achar o sobrinho desaparecido desde o ano passado. “O nome do meu sobrinho é Francisco Cardoso dos Santos. Ele está fora de casa desde dezembro de 2014. Conseguimos encontrar ele em janeiro deste ano, mas ele sumiu. Não agüento mais essa situação e cadastrei o nome dele nessa busca. Espero, de verdade, que ele possa ser encontrado para voltar para casa“, contou dona Lindinalva.

Na Delegacia de Proteção à Pessoa (DPP), criada em 2012, são registradas cerca de 30 ocorrências ao mês. As denúncias podem ser feitas na sede da DPP, no final de linha da Pituba, por meio da página da delegacia no Facebook, ou ainda pelo Whatsapp Desaparecidos: 8643-4007.

“O nosso tratamento é igualitário, seja criança, adolescente e idoso. As mídias sociais são a principal forma de prestar ocorrência. Elas estão sendo muito usados pelos órgãos da Segurança Pública como mais uma ferramenta que auxilia a Polícia nas investigações criminais e na localização de pessoas desaparecidas. Muitos jovens retornam para suas casas, inclusive, por influência das redes sociais“, explicou a delegada titular da DPP, Heloisa Simões.

Durante a ação na Estação Mussurunga, uma equipe da DPP formada por delegados, escrivães e investigadores realiza panfletagem e orienta a população sobre como agir em situações de desaparecimento de amigos e familiares. Mesmo depois de 26 anos sem ver o irmão, a auxiliar Maria Raimunda Nascimento, de 41 anos, mantém a esperança de saber o paradeiro do parente. “Eu tinha quinze anos quando meu irmão saiu de casa para comprar pão e nunca mais voltou. Ele tinha 19 anos na época. Nós éramos doze irmãos e ele até hoje deixa um vazio. Minha mãe sofre muito, eu e meus irmãos também. Nós sentimos que podemos encontrar ele ainda. Vamos continuar procurando“, afirmou.

Ação na Rodoviária

A campanha para identificar pessoas desaparecidas foi realizada também na Rodoviária de Salvador. A ação DPP Itinerário, promovida pela Delegacia de Proteção à Pessoa (DPP), no dia 7 de maio, cadastrou 12 ocorrências, sendo oito de reencontro de familiares, e os outros quatro de pessoas desaparecidas.

É importante ressaltar a necessidade da realização de um boletim de ocorrência e da apresentação de uma foto, do nome e idade da pessoa desaparecida, para que seja feito o cadastro. Atualmente, o banco de dados da DPP possui 100 nomes. Em 70% dos casos são de adolescentes que fogem do lar pelos mais variados motivos, como envolvimento com drogas, briga com os pais, homossexualidade não aceita pelos parentes, dentre outros.