Após atuação de forma rápida e direta no resgate das vítimas de deslizamentos de terra, em Salvador, além de trabalhar em pontos de alagamento e desabamentos de imóveis, a ação dos agentes do Corpo de Bombeiros da capital foi avaliada pelo comandante de operações da corporação, o coronel José Nilton Nunes Filho.

“Em situações de catástrofes, são a natureza e as circunstâncias dos desastres que nos impõem as condições de trabalho. Diante do que os bombeiros encontraram, em locais como o Marotinho, a Avenida San Martin e a Baixa do Fiscal, conseguir retirar pessoas com vida e, no menor tempo em que era possível ser realizado o trabalho, fez que com que nossa sensação seja de missão cumprida”, afirmou o comandante.

Segundo o coronel Nunes Filho, o trabalho dos bombeiros começa, antes mesmo dos chamados para emergência, com o planejamento para situações de crise, a exemplo de combate a enchentes, chuva, incêndio, que vão desde pequenos locais até matas abertas, como acontece na Chapada Diamantina, entre outras condições.

Ele afirmou que “mantemos o nosso pessoal de prontidão 24 horas por dia, sete dias por semana, mas ainda temos equipes de sobreaviso, que podem ser acionadas e estarão prontas, em curto espaço de tempo, para dar reforço aos que já estão [realizando] o trabalho”.

Prontidão

Para as situações de emergências, no mês de abril, equipes dos bombeiros se revezaram em turnos para atuar, com prioridade, no resgate de vítimas e garantir que mais pessoas fossem retiradas com vida. Na San Martin, por exemplo, chegaram a trabalhar simultaneamente mais de 50 homens do Corpo de Bombeiros, que atuaram com equipamentos adequados e pessoal qualificado para cada situação.

A corporação dispõe de retroescavadeiras, câmaras de escombros, câmaras térmicas, cães farejadores e equipes especializadas em busca e salvamento. “Os equipamentos são necessários em diferentes situações. Atualmente possuímos ferramentas que localizam vítimas de soterramento, através da perfuração do solo, e [são] capazes de perceber pequenas alterações no ambiente, como a respiração profunda de alguém desacordado ou debilitado”, disse o coronel. Também há material que possibilita ao bombeiro acesso a locais com muita fumaça, escuros ou sem qualquer visibilidade.

O Corpo de Bombeiros permanece de prontidão para atender, com a maior rapidez possível, os chamados de emergência relacionados ou não à chuva tanto em Salvador quanto no interior do estado. “Nossa prioridade é o atendimento à população e nossa satisfação é fazer com que as pessoas saibam que podem contar com o Corpo de Bombeiros”, disse ainda o comandante.