Em 60 dias, a Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab) vai lançar uma estratégia que visa zerar a espera de pacientes com infarto do miocárdio e que precisam de procedimentos como cateterismo e angioplastia.  O secretário da Saúde, Fábio Vilas-Boas, antecipou o anúncio da iniciativa para esta sexta-feira (29), durante o 27º Congresso Baiano de Cardiologia, que acontece em Salvador, com a presença de profissionais de saúde de todo o estado
A partir de uma nova política estadual de combate às doenças cardiovasculares, que são consideradas como a primeira causa de morte no mundo, os pacientes passarão a ter atendimento imediato. Com uma série de medidas, desde a prevenção nas escolas até o transplante cardíaco, a Sesab pretende solucionar gargalos que vêm afetando o atendimento à população. 
“Em todo o estado, os pacientes terão vagas em salas de hemodinâmica cardíaca na rede pública e privada. O objetivo é oferecer o tratamento mais avançado, no menor tempo possível, respeitando os padrões internacionais de 90 minutos entre o diagnóstico e a intervenção”, afirmou o secretário.
Programa semelhante será feito para o Acidente Vascular Cerebral Isquêmico (AVCI). Dez centrais de telemedicina estarão conectadas 24 horas a duas unidades de comando em Salvador, onde terão neurologistas nos hospitais Roberto Santos e Ana Nery. 
Leitos 
A Sesab também está trabalhando para aumentar o número de leitos e procedimentos voltados para o tratamento das doenças cardíacas. A partir de junho serão ampliados os procedimentos realizados nos hospitais Martagão Gesteira, unidade de saúde que presta atendimento infantil na capital baiana, e Ana Nery, que atende crianças e adultos. 
Até março de 2015, mais de 12,3 mil pessoas foram internadas com doenças do aparelho circulatório como hipertensão, isquemia, cerebrovascular, arteriais, entre outras. Em 2014, foram mais de 75 mil internamentos na Bahia.