Os mangues da Ilha dos Frades, no centro da Baía de Todos-os-Santos, foram repovoados com mais de 500 mil caranguejos em fase de desenvolvimento, denominados megalopas, medindo cerca de 0,5 cm. A ação da Bahia Pesca, empresa vinculada à Secretaria da Agricultura (Seagri), que faz parte do Programa Integrado de Manejo e Gerenciamento do Caranguejo-uçá (Puçá), aconteceu na quarta-feira (6).

As megalopas foram cultivadas no laboratório da Bahia Pesca, na Fazenda Experimental Oruabo, em Santo Amaro, onde também são realizadas as principais atividades de pesquisa da empresa. As 140 fêmeas utilizadas para a reprodução foram capturadas no manguezal e devolvidas ao meio ambiente junto com as megalopas.

“Em nosso laboratório as fêmeas foram alimentadas com peixes e camarão até a eclosão dos ovos. É neste momento que ‘nasce’, em forma de larva, a iguaria tão apreciada por baianos e turistas. As larvas são colocadas em tanques, onde se alimentam de microalgas e microcrustáceos, e vão se desenvolvendo até atingirem o estádio de megalopas”, explica a técnica da Bahia Pesca, Eliane Hollunder. Segundo ele, os animais são mantidos em tanques com temperatura e salinidade da água monitoradas até serem soltos no meio ambiente.