O governador Rui Costa assinou, nesta terça-feira (5), o Protocolo de Intenções de Fomento à Cadeia Termoplástica da Bahia, que prevê ações conjuntas de incentivo e apoio à capacitação das empresas que atuam na produção de matérias-primas e transformação de material plástico. Representantes da Braskem,  da Federação das Indústrias do Estado da Bahia (Fieb), do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e do Sindicato da Indústria de Material Plástico do Estado da Bahia (Sindiplasba) também participaram da celebração do acordo. 
O ato de assinatura aconteceu durante a Feira Internacional do Plástico, em São Paulo, onde o governador também visitou os stands da Basf e da Styrolution, além da própria Braskem. "A Bahia está de portas abertas para novos investimentos, e a nossa competitividade e qualidade da mão de obra já são reconhecidas nacionalmente. Em junho, nós teremos a inauguração da Basf, um investimento de R$ 1,2 bilhão. Estamos buscando estruturar a cadeia produtiva do plástico e seus derivados, trazendo emprego e renda para os baianos", destacou Rui.
"Os investimentos continuarão sendo feitos, mas todos sabem que o ‘xodó’ deste governo é a educação, nosso carro-chefe", acrescentou o governador, que convidou todos os empresários presentes a participar do projeto ‘Educar para Transformar: um Pacto pela Educação’. O vice-presidente de Relações Institucionais da Braskem, Marcelo Lyra, garantiu apoio ao programa do governo e destacou a semelhança entre os slogans do projeto de Estado e da empresa, que é ‘Inovar para Transformar’.
Também participaram do evento em São Paulo os secretários de Infraestrutura, Marcus Cavalcanti; de Ciência e Tecnologia, Manoel Mendonça; e de Desenvolvimento Econômico, Paulo Guimarães. 

Desenvolvimento

As resinas termoplásticas produzidas pela Braskem têm origem no petróleo (nafta, condensado e gás de refinaria), no gás natural e no etanol de cana-de-açúcar – matéria-prima renovável utilizada na produção de eteno verde. Os produtos servem de base para uma série de materiais plásticos utilizados nas mais variadas indústrias como alimentícia e automobilística. Embalagens, tubos de PVC, tanques de combustível, solas de calçados e mangueiras são apenas alguns dos produtos finais fabricados a partir desse tipo de material.
Segundo o secretário Paulo Guimarães, a parceria possibilita o incentivo e o desenvolvimento de capacitação gerencial e técnica para as indústrias plásticas, a maioria médias e pequenas empresas. "É muito melhor para as empresas implantar fábricas onde está o mercado. Com esse mercado em crescimento, a tendência é que a gente consiga trazer cada vez mais empresas, e o protocolo vai no sentido de lançar um programa de apoio a essas empresas do ponto de vista gerencial, para que elas consigam se implantar e se consolidar, ampliando o setor na Bahia".

Feiplastic

A Feira Internacional do Plástico (Feiplastic), considerada a maior do setor da América Latina, acontece até sexta-feira (8), no Pavilhão de Exposições do Anhembi, na capital paulista. Importante centro gerador de negócios da cadeia produtiva do plástico, o evento visa transformar o mercado ao promover o desenvolvimento econômico e tecnológico do setor, reunindo 1.400 marcas nacionais e internacionais e 70 mil visitantes por dia, além de atrair os principais compradores do Brasil e do Mundo.