Analisar os impactos do projeto do governo federal que prevê a instalação de uma rodoferrovia no município, acompanhado de diversas ações sociais, a exemplo de pré-vestibular, fábrica de vassouras, piscicultura e horto medicinal. Este foi o propósito da visita realizada pela secretária de Promoção da Igualdade Racial (Sepromi), Vera Lúcia Barbosa, nesta quarta-feira (20), ao Quilombo Pitanga dos Palmares, localizado no município de Simões Filho, na Região Metropolitana de Salvador (RMS).

Na ocasião, a secretária se colocou à disposição para contribuir na articulação do processo e de outras iniciativas que tragam benefícios à região. “Precisamos atuar em parceria para que esse segmento, que mantém suas tradições culturais, religiosas e de subsistência, possa ter seus direitos garantidos”.

Segundo a liderança do Quilombo, Maria Bernadete Pacífico, o Pitanga dos Palmares, já reconhecido pela Fundação Cultural Palmares (FCP), reúne mais de 850 famílias, que trabalham com agricultura familiar, criação de galinha, porco e hortaliças, fabricação de beiju, artesanato de piaçaba, entre outras atividades. No local há uma casa de farinha aberta para uso da comunidade. “Por ser negra, quero defender os nossos direitos”, afirmou Bernadete, também coordenadora da Igualdade Racial de Simões Filho.

A secretária e comitiva foram recebidas com um almoço de alimentos produzidos na comunidade. Compareceram a vice-reitora e o assessor especial da Universidade do Estado da Bahia (Uneb), Carla Liane e Antônio José Batista, respectivamente, além da coordenadora de Etnodesenvolvimento da Associação Cultural de Preservação do Patrimônio Bantu (Acbantu), Ana Placidino, e de Mãe Jaciara, do terreiro Axé Abassá de Ogum.