O programa Todos pela Alfabetização (Topa) deve beneficiar, este ano, 100 mil pessoas, entre jovens acima de 15 anos, adultos e idosos que não puderam efetuar os estudos na idade regular. Para planejar as ações da 8ª etapa do programa, a Secretaria da Educação do Estado da Bahia promove até esta sexta-feira (15), no Instituto Anísio Teixeira (IAT), na Avenida Paralela, em Salvador, um encontro com os supervisores integrantes dos 27 Núcleos Regionais de Educação.

De acordo com a coordenadora estadual do Topa, Elenir Alves, outro diferencial do Topa para 2015 é que o projeto beneficiará ainda pessoas de etnia cigana, trabalhadores catadores de material reciclável e mulheres e também os municípios onde há maior índice de analfabetos.

“Estamos priorizando alguns segmentos, por orientação do próprio Ministério da Educação, a exemplo das mulheres que representam 54% da população de analfabetos na Bahia e a população do campo, com o apoio dos sindicatos dos trabalhadores, além do povo cigano, respeitando sua cultura e suas tradições”, enfatiza Elenir.  Ao salientar a importância do planejamento, a coordenadora explica que o objetivo é a cada etapa do Topa qualificar, “ainda mais, as atividades e otimizar os recursos do programa”.

Programa

O Topa é desenvolvido pela Secretaria da Educação desde 2007, em parceria com o governo federal. O programa já possibilitou que mais de 1,3 milhão pessoas fossem alfabetizados. Os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio, divulgada no mês de setembro de 2014 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (Pnad/IBGE), demonstram a eficácia do Topa.

Segundo a Pnad/IBGE, a Bahia foi o estado do Nordeste que mais reduziu a taxa de analfabetismo em 2013. O Estado registrou 14,9% entre pessoas com 15 anos ou mais, superando a média da região Nordeste que foi de 16,9%. Nessa faixa etária, a pesquisa também revela que o estado da Bahia foi o terceiro no País que mais conseguiu reduzir a taxa de analfabetismo.