Alunos de escolas públicas de Salvador e de cursinhos pré-vestibular participam, até o dia 24 deste mês, da semana dedicada ao Dia Internacional do Museu, 18 de maio. Nesta segunda-feira (18), no Museu de Arte da Bahia (MAB), no Corredor da Vitória, em Salvador, foi aberto o calendário de comemorações, que reuniu mais de 120 estudantes. Eles assistiram a uma aula ministrada pelo secretário da Cultura, Jorge Portugal, palestra do diretor geral do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (Ipac), João Carlos Cruz de Oliveira, entre outras atividades.

O estudante Yan Brasiliano, 17 anos, foi pela primeira vez a um museu nesta segunda. Para ele, a visita pode se tornar um hábito, que “é cultura [e] é bom para a gente crescer. Os estudantes não tinham muitas oportunidades de conhecer os museus, mas agora a escola está trazendo”. Graziele Santana, 16, disse que já esteve em alguns museus. “A última exposição que visitei foi sobre a africanidade. É importante porque a gente conhece peças antigas, imagens, fotos que nunca vimos. É a nossa história”.

Política pública

Jorge Portugal relacionou os fatos da descoberta do Brasil na Bahia e Salvador ser a primeira capital da colônia à importância dos museus baianos. “Toda a riqueza da Bahia vem daí. Por isso essa quantidade de museus, essa necessidade de ter casas para abrigar esse tesouro”. Segundo o secretário, a visita dos alunos durante as comemorações faz parte de uma “política pública que está sendo implementada”.

“Há uma distância da maioria da população brasileira do costume de frequentar museus. Os números do teatro e do cinema também são alarmantes, porém os museus lideram essa distância. Por isso estamos fazendo este trabalho com as escolas públicas. Museus são salas vivas de educação. Temos a memória [e] a história que pode ser contada de uma forma diferente daquela tradicional. O aluno pode, a partir deste caminho, adotar esse item como fundamental para a sua vida”, afirmou o secretário.

‘#musEuCurto’

O diretor do Ipac apresentou a campanha de mobilização ‘#MusEuCurto’, que tem o objetivo de aproximar a sociedade, incluindo pessoas de todas faixa etárias, desses importantes espaços culturais. De acordo com João Carlos Cruz, o órgão tem 13 museus sob sua direção em Salvador e no Recôncavo Baiano.

“Queremos que nossos museus sejam multiplicadores de ações de educação patrimonial, de museografia e [uma] ampliação de espaço público, locais de permanência, [onde] as pessoas entendam os museus como espaços seus”. Segundo ele, o museu de Cabaceiras do Paraguaçu, por exemplo, atende a cinco municípios da região.

O gestor informou que, “no Palacete das Artes, temos teatro, dança, música, exposições e local de permanência. O Museu de Arte Moderna, que está sendo restaurado, será um equipamento de ponta mundial dentro dessa política que a gente imagina. Queremos que esse modelo de gestão se multiplique”. A política de formação de público para os museus, como disse ainda, terá continuidade.

Sociedade sustentável

A temática da semana é ‘Museus para uma sociedade sustentável’. Na Bahia, os museus da Secretaria de Cultura do Estado (Secult), incluindo os espaços vinculados à Diretoria de Museus (Dimus) do Ipac, participam com atividades voltadas ao tema proposto.

Fazem parte da lista o Museu de Arte Moderna da Bahia (MAM-BA), Centro Cultural Solar Ferrão, Museu Abelardo Rodrigues, Museu de Arte da Bahia (MAB), Museu Tempostal, Museu Udo Knoff de Azulejaria e Cerâmica e Palacete das Artes – em Salvador -, além do Parque Histórico Castro Alves, em Cabaceiras do Paraguaçu.