Pessoas que vivem em situação de rua, usuárias de substâncias psicoativas, participam do curso de ‘Redução de Danos e Referência de Campo’, oferecido pelo Projeto Corra Pro Abraço, iniciativa da Secretaria da Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SJDHDS) e do Centro de Referência Integral de Adolescentes (Cria).

A capacitação, que teve início nesta terça-feira (5), na sede do Movimento de População de Rua, no Pelourinho, em Salvador, tem o objetivo de formar, junto aos usuários, multiplicadores conhecedores de práticas relacionadas à redução de riscos e danos biológicos e sociais do uso de drogas.

Idealizado na perspectiva de empoderamento de pessoas, que estão em situação de vulnerabilidade social, o curso também objetiva contribuir para a formação politico-cidadã desse público, que, em virtude dos estigmas e preconceitos, enfrentam barreiras para acessar serviços de saúde e de justiça. "Temos aqui pessoas com o perfil de cuidadores e esperamos que eles atuem como disseminadores nos seus espaços de convivência, não esquecendo que são sujeitos de direitos", explicou a coordenadora do projeto Corra Pro Abraço, Eleonora Rabêllo.
Socialização 
A demanda do curso surgiu durante as atividades de intervenção do projeto no primeiro ano de atuação. A troca de informações entre pessoas em situação de rua, nos espaços em que convivem, foi identificada pela equipe do Corra Pro Abraço com importante ferramenta de socialização de métodos de redução de danos. “Vou aprender para passar aos meus colegas quando eles precisarem”, afirmou o participante Silvano Oliveira.
O curso tem carga horária de 40 horas e será oferecido, até o dia 9 de julho, nas terças e quintas. Durante os encontros, os participantes têm acesso a diversas informações, a exemplo de conteúdos sobre práticas sexuais de risco e os riscos e danos sociais relacionados ao consumo de drogas, além dos equipamentos da Rede SUS e do Sistema Único de Assistência Social (Suas) voltados ao atendimento e cuidado aos usuários de drogas no Estado.