Multiplicar as ações de defesa agropecuária em todo o estado para desenvolver a agropecuária baiana, unificando a funcionalidade das diretorias técnicas. Este objetivo da nova gestão da Agência de Defesa Agropecuária do Bahia (Adab), vinculada à Secretaria da Agricultura (Seagri), foi repassado a todos os coordenadores de projetos e regionais, durante encontro iniciado nesta quarta-feira (13).

Realizado em Feira de Santana, no centro norte baiano, o evento continua até quinta (14), quando serão apresentados e discutidos os procedimentos de otimização de recursos financeiros, de manutenção de veículos e de recursos humanos.

Os diretores técnicos de Sanidade Animal, Vegetal e Inspeção de Produtos, Rui Leal, Armando Sá e Willadesmon Silva, respectivamente, solicitaram o empenho de todos os servidores, principalmente dos fiscais estaduais agropecuários concursados, para juntar esforços neste momento de transição dando sequência às atividades técnicas.

“Porta de entrada”

Segundo o diretor Administrativo e Financeiro Cláudio Lima, a estrutura física da Adab, distribuída pela Bahia, será melhorada, pois é a “porta de entrada” para a agropecuária baiana. De acordo com ele, os escritórios regionais e as gerências são os locais de contato direto com o produtor. “Por isso precisamos do empenho de todos para buscar soluções dentro de casa uma vez que possuímos excelente corpo técnico”.

Já o diretor-geral da agência, Oziel Oliveira, disse que, como produtor, sabe da importância da defesa agropecuária para a economia do estado. Para ele, a reunião é muito importante diante das exigências divulgadas pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), durante apresentação do Plano de Defesa Agropecuária (PDA), para repasse de recursos à agência.

“A defesa agropecuária já foi estabelecida como ponto estratégico dentro do Mapa e, em conversa com a ministra Kátia Abreu, [da Agricultura], pude perceber que as informações abastecidas e disponibilizadas no Sistema Informatizado da Adab servirão como parâmetro para o envio de recursos à Adab”, esclareceu Oziel.

Planejamento Estratégico

No período da manhã foi apresentado o Plano Plurianual do Governo do Estado (PPA) elaborado para a nova gestão, no qual ficou constatado que “a Adab é um órgão transversal, pois sua atividade é necessária para o pequeno, médio e grande produtor”, afirmou o assessor de Planejamento Estratégico, Davi Gonçalves.

As atividades para o desenvolvimento rural e agricultura familiar com foco no semiárido serão realizadas em parceria com a Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR) e a Companhia de Ação e Desenvolvimento Regional (CAR), a exemplo da ampliação da oferta de alimentos de origem animal sob o Serviço de Inspeção Estadual (SIE) e da fiscalização do comércio e uso de agrotóxicos.

A retomada do projeto intitulado ‘Indicadores de Metas’ foi realizada para o gerenciamento das atividades técnicas, que estabelece metas, procedimentos internos e soluções de gestão. O objetivo dos indicadores é atender ao PPA, auxiliar nos relatórios e determinar ações a serem executadas tanto na sede como nas unidades administrativas distribuídas no estado, servindo como instrumento de trabalho transparente e auditável.

“Esta é uma ação continuada que beneficia o produtor com a melhora na execução da atividade de defesa agropecuária”, explicou a fiscal estadual responsável pelo projeto, Verena Mendes. De acordo com ela, os indicadores e metas da Adab dependem dos líderes, no caso, dos coordenadores e gerentes distribuídos pelas 15 coordenadorias regionais e 71 gerências locais, cobrindo os 417 municípios da Bahia.