Com a realização do III Seminário da Cafeicultura Familiar, terminou na quarta-feira (13) em Salvador a 16a edição do Simpósio Nacional do Agronegócio Café – Agrocafé. O evento concentrou na capital baiana representantes de todos os elos da cadeia produtiva do grão, com ênfase no agricultor familiar. O Seminário debateu o café orgânico como processo viável, além da produtividade e da assistência técnica na cafeicultura familiar.

O estado da Bahia tem mais de 20 mil cafeicultores, dos quais 80% são da agricultura familiar. Palestrante no evento, o superintendente da Agricultura Familiar da secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), Marcelo Matos, apresentou as possibilidades de mercado para a cafeicultura familiar e ressaltou o programa de aquisição de alimentos como solução importante para compra institucional do café. “Essa foi uma oportunidade para os cafeicultores familiares conhecerem o mercado institucional do café na Bahia e também as possibilidades de assistência técnica que estão em curso”, destacou.

Atualmente, a Bahia se destaca no mapa da cafeicultura nacional pela qualidade dos seus cafés, especialmente nas regiões do Planalto e da Chapada, sendo que também são reconhecidos pela qualidade os cafés irrigados do Oeste da Bahia, região de Cerrado. Aproximadamente 200 agricultores familiares de café participaram do evento, que serve como fonte de informação, capacitação e difusão de tecnologia para este público.

Café da Bahia em destaque

Em 2014, no concurso nacional da Associação Brasileira da Indústria de Café, o campeão foi um produtor de Barra do Choça. Já este ano, no último CupofExcellence, concurso promovido pela Associação Brasileira de Cafés Especiais – BSCA, dos 21 cafés inscritos de todo o Brasil, nove eram da Bahia, e, dentre estes, os cinco primeiros colocados do concurso. O vencedor do CupofExcellence – EarlyHarvest, Cândido Vladimir Ladeia, também conquistou o primeiro lugar no Concurso de Qualidade Cafés da Bahia, da Assocafé, em novembro do ano passado.