A Arena Fonte Nova apresenta resultados positivos na realização de eventos esportivos, corporativos e de entretenimento ao completar um ano de operação na próxima segunda-feira (7). Nos primeiros 12 meses de funcionamento, o espaço atraiu mais de 800 mil torcedores só nos jogos de futebol, além de outras 160 mil pessoas em eventos de negócios e entretenimento.

Neste sábado (5), o complexo comemora um ano de inaugurado. Foi no dia 5 de abril de 2013, dois dias antes da primeira partida oficial no novo estádio, que a presidente Dilma Rousseff e o governador Jaques Wagner entregaram o equipamento esportivo, terceiro a ficar pronto para a Copa das Confederações.

De abril do ano passado até o Ba-Vi deste domingo (6), a Fonte Nova contabiliza 44 jogos de futebol, incluindo três na competição preparatória para a Copa do Mundo, além de partidas oficiais dos times Bahia e Vitória válidas pelo Campeonato Brasileiro, Copa do Brasil, Copa do Nordeste, Campeonato Baiano e Copa Sul-Americana. A média de público é de 19 mil torcedores por jogo.

Já os eventos realizados nos mais diversos espaços da arena reuniram até 40 mil pessoas em shows como os de Elton John, Ivete Sangalo e David Guetta. Em apenas 90 dias, quatro mil pessoas conheceram as instalações do estádio por meio do programa de visitação guiada.

Palco de seis partidas da Copa do Mundo da Fifa Brasil 2014, o estádio se consolida como principal espaço multiuso da Bahia, requalificando e valorizando todo o seu entorno, na região central da capital baiana. O empreendimento é uma Parceria Público-Privada (PPP) entre o Governo da Bahia e a Fonte Nova Negócios e Participações (FNP).

Emprego e renda

Segundo o secretário Estadual para Assuntos da Copa (Secopa), Ney Campello, os resultados comprovam a sustentabilidade econômica do equipamento. “São grandes eventos que projetam a arena, tornando-a sustentável do ponto de vista econômico, o que é bom para o Estado, que reduz a sua contraprestação”.

A Arena Fonte Nova é importante também para a geração de emprego e renda. Desde a implosão e reconstrução, foram criados cinco mil postos de trabalho. Nas obras, teve prioridade mão de obra de moradores do entorno, além da abertura de vagas para egressos do sistema penal, pessoas com deficiência e em vulnerabilidade social.

As oportunidades beneficiaram trabalhadores como o pedreiro Brasilino dos Santos, 79 anos, que trabalhou na construção da antiga Fonte Nova e se orgulha de ter ajudado a construir e hoje trabalhar na manutenção da moderna arena. “Me sinto orgulhoso em ver tudo isso aqui, em ter trabalhado e estar aqui [neste lugar], que hoje é um paraíso”.

A Fonte Nova foi inaugurada pela primeira vez em 1951 e reconstruída dentro do caderno de normas e encargos da Federação Internacional de Futebol (Fifa). A reabertura aconteceu 32 meses após a implosão do antigo estádio, em 29 de agosto de 2010. Antes do primeiro Ba-Vi no novo estádio, se apresentam artistas como Ivete Sangalo, Margareth Menezes, Cláudia Leitte e Olodum.