Com avaliação positiva do desempenho registrado pelo programa Produzir e participação expressiva de representantes de associações, técnicos da Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), das equipes do Banco Mundial (Bird), da Unicamp/Funcamp, de dirigentes de órgãos estaduais, do diretor-executivo da CAR, José Vivaldo Mendonça, e várias autoridades, foi encerrado na tarde de quinta-feira (20), no auditório do Hotel Sol Bahia, no bairro de Patamares, em Salvador, o seminário Novos Desafios.

Os resultados alcançados pelos projetos do Produzir, que possui ações de combate à pobreza e inclusão socioprodutiva desenvolvidas em 407 municípios da Bahia, foram constatados nos depoimentos dos beneficiários e apresentações feitas por pesquisadores das universidades federais de São Carlos e Uberlândia e estaduais de Campinas, Paulista e do Sudoeste da Bahia (Uesb), que integram o núcleo de estudos da Funcamp para avaliação de impacto do programa. Os dados detalhados da pesquisa serão divulgados ainda este mês, com a entrega do relatório final de avaliação.

O evento, que teve como objetivo fechar o ciclo das ações empreendidas pelo Produzir, além de apresentar o Bahia Produtiva e construir parcerias para sua execução, contou com uma programação que abrangeu a apresentação do coral da CAR, Canto da Terra, e o painel sobre o estudo de avaliação do impacto do programa e Unicamp/Funcamp.

Projetos de sucesso

Para a cacique Maria do Carmo Quirino, da Reserva Aldeia Patiburi, no município de Belmonte, extremo sul do estado, depois da implantação de um projeto do Produzir, os índios podem se considerar ‘doutores em ovinocultura’.

O presidente da Associação de Apicultores do Vale do Capão, no município de Palmeiras, região da Chapada Diamantina, Pedro Constan, afirmou que o apoio do Produzir foi fundamental para o desenvolvimento da apicultura pela comunidade local. “Esses investimentos da CAR são muito bem-vindos nas associações, que se empenham e têm o seu trabalho desenvolvido. Recentemente, fomos também contemplados pela CAR com um caminhão, através do programa Vida Melhor, que vai ajudar muito no transporte e dinamizar nossa atividade”.

A presidente da Associação de Artesanato de Caldas do Jorro, no município de Tucano, Maria de Lourdes Silva, também fez questão de agradecer os benefícios recebidos. “Fomos abençoados através da CAR e do Banco Mundial, porque a gente trabalhava com artesanato e comercializava em barracas, e todo dia era preciso armar e desarmar”. Ela informou que, com o projeto da CAR, a comunidade foi contemplada com boxes.