O carnaval do Pelourinho, no Centro Histórico de Salvador, foi aberto oficialmente na noite de sexta-feira (28) pelo governador Jaques Wagner, a ministra do Planejamento Miriam Belchior e a primeira-dama do Estado, Fátima Mendonça.

Em 2014, a folia no Pelô, organizada pelo Governo do Estado, comemora o centenário de nascimento do cantor e compositor Dorival Caymmi, os 40 anos do bloco afro Ilê Aiyê e homenageia outros blocos Afro, Afoxés e de índio.

O Olodum, que completa 35 anos de carnaval, foi o primeiro a alegrar baianos e turistas . Para comemorar, o bloco, que integra o Carnaval Ouro negro, programa de fomento da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA) voltado às entidades de matriz africana, fez em sua sede um coquetel com a participação do governador, da primeira-dama, da ministra, deputados e secretários de Estado.

Nas ruas históricas, os integrantes do bloco fizeram foliões de todas as idades dançarem ao ritmo dos tambores. “A Bahia é mágica e o povo muito alegre. Adoro esse lugar. Nunca vi em lugar nenhum uma festa tãoi bonita e colorida como essa”, afirmou a turista mexicana Adriana Callegas, que participa do carnaval no Pelourinho há dois anos.

Depois do Olodum, foi a vez de Carlinhos Brown se apresentar. “Esse é o carnaval da democracia e da diversidade, que leva para as ruas a mistura de ritmos e gêneros musicais. É o carnaval feito para baianos e turistas que valorizam a nossa cultura. Por isso, o governo investe no Carnaval do Pelô, no Carnaval Ouro Negro”, ressaltou o governador, ao lado dos secretários Rui Costa (Casa Civil), Robinson Almeida (Comunicação) e Albino Rubin (Cultura).

Decoração – Em homenagem aos blocos afros e a Caymmi, a decoração do Pelourinho mostra bandeiras, estandartes e portais com símbolos e cores que identificam os elementos da cultura negra e dos versos cantados por Dorival Caymmi.

A expectativa é de que mais de 1 milhão de pessoas participem dos cinco dias de folia no Pelourinho, que tem uma programação diversificada com shows de reggae; pop rock; afro pop; axé; arrocha; hip hop; samba rap; dancehall e outros estilos, além de apresentações de bandões, fanfarras e elementos representativos da cultura popular, como as marchinhas, o teatro de rua e os mamulengos.