Para prestar assistência psicológica às vítimas da tragédia em Lajedinho (a 355 Km de Salvador, na Chapada Diamantina), a Secretaria de Desenvolvimento Social e Combate à Pobreza (Sedes), por meio da Superintendência de Assistência Social (SAS), articulou uma parceria inédita com o Grupo de Trabalho de Psicologia das Emergências e Desastres, do Conselho Regional de Psicologia da Bahia (CRP-BA/ 3ª Região), para o envio de uma equipe de nove profissionais voluntários, que vão atuar durante 13 dias.

As ações do Governo em prol do município acontecem desde domingo (8), quando uma tempestade causou a morte de 16 pessoas, deixou cerca de 800 desabrigadas e mais de 70 casas destruídas. A equipe iniciará de imediato o plano de trabalho em Lajedinho a partir desta segunda-feira (16) até o dia 29 deste mês.

Ações 

Em parceria com outras Secretarias e órgãos do Estado, como Defesa Civil, Embasa e Corpo de Bombeiros, a Sedes está desenvolvendo ações para minimizar a situação. Entre elas, a liberação de R$ 113.950,00 dos recursos do cofinanciamento da assistência social, sendo R$ 100.000,00 em “Benefício Eventual Emergencial”, para atender as necessidades básicas das famílias afetadas, como a compra de colchões, fraldas, água mineral, cestas básicas, pagamento de aluguéis sociais, cobertor, dentre outras.

Em articulação com as Voluntárias Sociais, a Sedes enviou seis mil pacotes de sopa concentrada e, por meio dos programas Vida Melhor e PAA Alimentos, doou três refrigeradores.

Foram enviados técnicos de assistência social e da Defesa Civil para dar suporte às vítimas, além da mediação com o Ministério de Desenvolvimento Social e Combate à Fome, no intuito de assessorar o município para a implantação do Serviço de Proteção em Situações de Calamidades Públicas e Emergenciais, com a finalidade de assegurar provisões de ambiente físico, recursos materiais, humanos e trabalho social para serem empregadas na manutenção de abrigos temporários. O Serviço em questão garante o valor de referência mensal de R$ 20 mil, transferidos fundo a fundo, para cada grupo de 50 pessoas acolhidas.

Também foram doados dois computadores e estabilizador para apoio de atividades administrativas, além de material de limpeza. A Superintendência de Proteção e Defesa Civil (Sudec) disponibilizou 1.600 m² de lona e 140 cobertores e, em articulação com a Embasa, doou seis mil copos de água mineral.