Diversas homenagens marcaram o velório do grande bailarino, coreógrafo e educador Augusto Omolú, que acontece desde 16h desta segunda-feira (3) no Foyer do TCA. O corpo do artista será velado durante toda a madrugada. O sepultamento será às 11h30 desta terça-feira (4), no Cemitério da Ordem 3ª de São Francisco (Quinta dos Lázaros), onde mais homenagens acontecerão.

Vários amigos, familiares e membros da classe artística baiana vieram dar seu adeus a um dos maiores ícones da dança no estado. Por volta das 18h30 desta segunda-feira, Antonio Carlos Portela e Elena Rodrigues, músicos integrantes da Orquestra Sinfônica da Bahia (OSBA), também prestaram um tributo com uma apresentação para o público.

A família do dançarino confirmou que haverá uma missa no local na manhã desta terça-feira (4), às 9h. Após o evento religioso, homenagens artísticas também serão realizadas, a partir das 9h30: o Balé Teatro Castro Alves fará uma leitura ressaltando a importância de Omolú para a história e o crescimento da companhia; integrantes do Bloco Muzenza farão um repicar de tambores em tributo ao artista, o percussionista Jorjão Bafafé, diretor do bloco Ókambí, e o dançarino Elísio Pitta resolveram se unir para homenagear o amigo com um número de improvisação que misturará dança e música.