Uma pessoa foi feita refém, no Estádio de Pituaçu, por um homem armado. Policiais da Companhia de Operações Especiais (COE/PM-BA) desceram de um helicóptero, resgataram a vítima e a levaram para atendimento no Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), onde houve a imediata transferência para um hospital da rede estadual. O sequestrador, que já havia matado outra pessoa, acabou dominado e preso.

A cena fez parte de uma simulação realizada nesta sexta-feira (14), como preparação das equipes de segurança escaladas para atuar na Copa das Confederações Fifa Brasil 2013, que começa neste sábado (15), com jogos em seis cidades-sede.

Todos os órgãos federais, estaduais e municipais envolvidos no planejamento da segurança pública para a Copa das Confederações participam da simulação de diversas operações na Região Metropolitana de Salvador (RMS). O exercício contou com militares da Marinha, do Exército, da Força Aérea Brasileira, da Polícia Federal, além de servidores das polícias Militar, Civil, Técnica e outros órgãos. Também em Pituaçu, foram simulados ataques terroristas com bombas e armas químicas, biológicas e radioativas.

Antes do início das operações em Pituaçu, um ônibus saiu do Hotel Catussaba, no bairro de Stella Maris, em direção ao estádio, simulando o transporte de uma equipe e sua delegação, escoltado por agentes das polícias Federal e Militar da Bahia. O turista português Jaílson Souza, que está no Brasil há três semanas com a família e hospedado no Catussaba, elogiou a movimentação. “Nos sentimos confiantes em todos os sítios que passamos. Quando o turista vê segurança, vem em massa para o país. Eu digo sempre, lá, em Portugal, que a segurança no Brasil não é o que as pessoas dizem, é mesmo cinco estrelas”.

Explosivos e armas químicas, biológicas e radioativas

De acordo com o coronel Júlio Nascimento, comandante do primeiro Grupamento de Bombeiros Militares, desde as 5h desta sexta as atividades começaram, com a varredura dos ônibus que vão fazer o transporte das equipes dos países. “Houve o deslocamento do hotel, de onde as delegações foram conduzidas, para o Estádio de Pituaçu. Também foi feita uma varredura no local, verificando-se que o ambiente estava protegido”.

O comandante do Esquadrão de Motociclistas Águia da Polícia Militar da Bahia, Ricardo Passos, disse que a simulação tem o objetivo de corrigir possíveis falhas e estabelecer a harmonia entre os motoristas que vão fazer parte do comboio a ser escoltado. “O percurso foi perfeito e a gente só precisa corrigir a saída do Hotel Catussaba, porque o ônibus é muito grande”. Segundo ele, cabe ao esquadrão a escolta de times e autoridades nacionais e internacionais. “Também fazemos a escolta na rota protocolar, que é por onde as equipes e delegações vão passar”.

Na simulação antibomba, com a utilização dos equipamentos entregues na quinta (13) no Parque Tecnológico da Bahia, na Avenida Paralela, em Salvador, um objeto suspeito foi encontrado pelas equipes de segurança e examinado pelo robô. Confirmado que se tratava de um explosivo, a equipe instalou uma contracarga no artefato, que foi detonado sem oferecer riscos. Em seguida, a Polícia Técnica entrou em cena para fazer a perícia e procurar pistas dos terroristas.

Descontaminação e resgate 

Como última hipótese de situação de risco, após soar o alarme de um ataque terrorista, três mulheres foram contaminadas por material químico. Completamente equipada, uma equipe da marinha fez o resgate das mulheres e a descontaminação do local e das vítimas, prestando os primeiros socorros e simulando também a transferência para o hospital.

“Nos dias de jogos estaremos com estes equipamentos prontos para atender qualquer tipo de ameaça desta natureza. Fazemos o reconhecimento e identificação destes agentes e descontaminamos as vítimas e materiais envolvidos neste tipo de ataque”, informou o tenente Rodrigo Pacheco, do Pelotão de Defesa contra Guerra Química, Biológica e Nucelar da Marinha.

SSP e Forças Armadas juntas no evento esportivo

No início da manhã desta sexta-feira, todo o trabalho conjunto que está sendo realizado pela Secretaria da Segurança Pública da Bahia (Polícias Militar, Civil, Técnica e Corpo de Bombeiros) com as Forças Armadas do Brasil (Exército, Marinha e Aeronáutica) durante o período da Copa das Confederações, que será realizada deste sábado ao dia 30 deste mês, foi apresentado à imprensa, em entrevista coletiva realizada na Base Naval, localizada no bairro do Comércio.

O plano estratégico, que será iniciado neste sábado pelas forças de segurança, tem como objetivo o controle do espaço aéreo, terrestre e aquático de Salvador e região metropolitana. As atividades desenvolvidas por cada uma das instituições serão coordenadas online, por meio do Centro Integrado de Comando e Controle Regional (CICC), inaugurado na quinta (13), no Parque Tecnológico, que se integra também ao sistema das Forças Armadas.

“A escolha do Brasil e da Bahia para realização de grandes eventos como a Copa das Confederações e Copa do Mundo está nos permitindo um salto tecnológico na estrutura de segurança, através do grande investimento feito pelos governos Federal e Estadual na Bahia”, ressaltou o secretário da Segurança Pública, Maurício Teles Barbosa.

O coordenador do Centro de Defesa de Área – Salvador, vice-almirante Antônio Fernando Monteiro Dias, destacou que o Ministério da Justiça classificou a Bahia como o melhor estado em integração entre as instituições de segurança pública com as Forças Armadas. “Gostaria de parabenizar o profissionalismo da SSP na capacitação e atividades de treinamento já realizadas em conjunto para os grandes eventos que ocorrerão na Bahia. Estamos preparados para atender aos brasileiros e turistas estrangeiros”.

Dias informou que, aliado ao efetivo das polícias estaduais, serão empregados 3.265 militares das Forças Armadas durante os dias do evento, além de outros dois mil da força estratégica, que atuarão se existir a necessidade. 

Publicada às 10h45
Atualizada às 15h40