O município de Entre Rios, no Norte do estado, exportou, terça-feira (25), a primeira carga de laranja in natura para a comunidade européia, após a Agência de Defesa Agropecuária da Bahia (Adab), órgão vinculado à Secretaria da Agricultura, emitir o certificado fitossanitário para exportação. Para a liberação da carga com 12 toneladas do fruto, a Fazenda Gavião precisou se adequar aos serviços de atenção fitossanitária e às exigências nacionais e internacionais na comercialização e exportação de produtos.

Desde 2012 a Fazenda Gavião exporta frutos de mesa (laranja). Entretanto, a atividade foi interrompida por conta do desaquecimento da oferta (final da safra) e por detectar a Mancha Preta dos Citros (MPC) no Estado da Bahia, praga observada em maio de 2012 por fiscais da Adab. “Para a retomada das transações comerciais, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento e a Seagri, por intermédio da Adab, tomaram medidas para resolver o problema”, explicou o secretário da Agricultura, Eduardo Salles.

Para exportar laranja in natura para Europa (Holanda), um dos mais exigentes mercados consumidores, o produtor precisou seguir um protocolo de requisitos que dizem respeito não só a qualidade alimentar, mas também à fitossanidade de produtos e procedimentos utilizados nos processos de produção.

“A cadeia produtiva dos citros no estado gera, a cada safra, aproximadamente 20 mil postos de trabalho, composta, principalmente, por pequenos produtores familiares, absorvendo assim um grande contingente de trabalhadores rurais das pequenas cidades das regiões citrícolas” ressalta Salles.

Segundo produtor nacional de citros, a Bahia registra, nos últimos anos, um crescimento progressivo nas exportações, tornando o estado produtor de 804,2 mil toneladas e acumulando, também, a mesma posição no ranking nacional da produção de lima ácida tahiti, com uma produção de 46,9 mil toneladas, segundo dados do IBGE de 2010.