Mais de 300 pessoas, entre prefeitos, deputados, empresários, representantes de associações comerciais e lideranças da sociedade civil, participaram nesta sexta-feira (12), em Santo Antônio de Jesus, do evento Diálogos Territoriais para conhecer o projeto de construção da ponte Salvador- Itaparica, indutor de desenvolvimento econômico e social da Região Metropolitana de Salvador (RMS), Recôncavo e eixo litorâneo sul.

Aproximar cidades e pessoas é apenas um entre os vários impactos positivos gerados a partir da obra, como enfatizou o secretário do Planejamento da Bahia, José Sergio Gabrielli. “O tempo entre Santo Antônio e a capital baiana, por exemplo, cairia de quase três horas para, no máximo, uma hora e quinze”,

Angélica de Jesus, 43, moradora do município, já se anima com a perspectiva de visitar mais vezes o seu filho, que mora e estuda em salvador. “Todo final de semana vou para lá, mas gasto quase três horas só de ida. Com a ponte, ficarei mais próxima dele”.

Vinte e quatro municípios terão a distância de Salvador reduzida em mais de 40% – Itaparica, Vera Cruz, Nazaré, Aratuípe, Salinas das Margaridas, Jaguaripe, Muniz Ferreira, Dom Macedo Costa, Valença, Santo Antônio de Jesus, São Felipe, Maragogipe, Varzedo, Elísio Medrado, São Miguel das Matas, Laje, Amargosa, Mutuípe, Cairu, Taperoá, Nilo Peçanha, Ituberá, Camamu e Piraí do Norte.

Levantamento realizado pela consultoria McKinsey & Company, empresa que está auxiliando o Governo do Estado na formatação da modelagem econômica e financeira, criação do plano de desenvolvimento da região e apoio aos estudos técnicos, aponta que à distância entre Vera Cruz e Salvador será encurtada em 94,8%, enquanto para Itaparica é 92%.