Orientar representantes de 51 comunidades indígenas sobre a elaboração de projetos. Este é o objetivo da oficina sobre o edital (nº 002/201) do Fundo Estadual de Recursos para o Meio Ambiente (Ferfa) para Lideranças e Representações Indígenas do Semiárido Baiano que ocorre até esta quinta-feira (11), no Centro de Treinamento da EBDA, em Itapuã.

O encontro é promovido pela Secretaria do Meio Ambiente do Estado (Sema), por meio do Ferfa, e tem a participação de 70 lideranças. De acordo com as regras do edital, serão disponibilizados recursos de R$ 5,8 milhões, sendo R$ 800 mil destinados a projetos em territórios indígenas.

Em parceria com o Instituto de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema) e a Secretaria da Justiça, Cidadania e Direitos Humanos (SJCDH), a iniciativa pretende contribuir com a elaboração de projetos nos territórios indígenas com ênfase no edital, lançado pelo fundo, para o qual as inscrições podem ser feitas até o dia 3 de maio.

Para o superintendente de Políticas e Planejamento Ambiental da Sema, Edson Ribeiro, o objetivo é estabelecer o diálogo com as comunidades indígenas e recepcionar projetos produzidos pelas próprias comunidades. “Este é um processo de construção coletiva, que aponta para projetos estruturantes, alternativas reais para mudar a realidade dessas comunidades. Ao final da oficina, pretendemos que as comunidades contextualizem seus modos e práticas de vida, de conservação e recuperação, formalizando isto num projeto para atender regras técnicas e práticas do edital”.

Seca

O cacique Babau, representante do povo Tupinambá, do município de Buararema, chamou a atenção para a realidade da seca. “Sanar estes e outros problemas das comunidades indígenas do semiárido é urgente. Esse projeto é bem vindo, pois os indígenas precisam produzi, e deve contribuir para mudar a realidade em que vivem as aldeias baianas, auxiliando no combate à desigualdade e a pobreza. É importante que as lideranças pensem na coletividade e como estes projetos vão atingir seu povo”.

O vice-presidente do Conselho Estadual dos Povos Indígenas, Kanrum Pataxó, destacou que a oficina é uma oportunidade de capacitação para o avanço de projetos. Participaram do encontro representantes indígenas dos municípios de Serra do Ramalho, Muquém do São Francisco, Banzaê, Euclides da Cunha, Glória,Utinga, Paulo Afonso, Santa Cruz de Cabrália, Curaçá, Pau Brasil, Sobradinho, Rodelas, Abaré, Barreiras e Buararema.

Fundo estadual

O Ferfa busca oferecer suporte financeiro à Política Estadual do Meio Ambiente. Administrado por um conselho deliberativo, conta com representantes da Sema, do Inema, da Companhia de Engenharia Ambiental e Recursos Hídricos da Bahia (Cerb), do Conselho Estadual do Meio Ambiente (Cepram) e dos órgãos municipais de Meio Ambiente.