A presidente Dilma Rousseff e o governador Jaques Wagner inauguraram na manhã desta sexta-feira (5) a Arena Fonte Nova, que integra o Complexo Esportivo e Cultural Otávio Mangabeira. Terceiro a ficar pronto para a Copa das Confederações, em junho deste ano, e a Copa do Mundo de 2014, o estádio é o primeiro totalmente reconstruído a ser inaugurado entre os que receberão as competições.

Também participaram da solenidade o ministro do Esporte, Aldo Rebelo, e o prefeito de Salvador, Antônio Carlos Magalhães Neto. Na ocasião, foram anunciados investimentos de R$ 1 bilhão para obras de vias estruturantes na capital baiana. Neste domingo (7), o clássico entre Bahia e Vitória, válido pelo Campeonato Baiano, será o primeiro jogo oficial disputado no estádio. Antes da partida, se apresentam artistas como Ivete Sangalo, Margareth Menezes, Cláudia Leitte e Olodum.

Dilma conheceu as principais instalações do novo estádio como tribunas e vestiários e no gramado deu o pontapé inicial da Arena, sede de seis partidas da Copa do Mundo. Na Copa das Confederações serão três, em junho – Nigéria x Uruguai (20), Brasil x Itália (22) e a decisão de terceiro e quarto colocados (30).

Criatividade

“Essa construção mostra o espírito e a criatividade do povo desta terra. A ferradura dá uma cara especial a este estádio, mostra uma das maiores características dos baianos, a criatividade. É um estádio que se volta para os orixás desta terra, orgulho do sincretismo da nossa diversidade", disse Dilma.

Jaques Wagner destacou o caráter moderno do projeto, sem esquecer da história e tradição da praça esportiva. “Respeitando o antigo estádio Otávio Mangabeira, a arena multiuso insere Salvador no cenário internacional de grandes espetáculos”. Ainda segundo o governador, o novo equipamento buscou valorizar os moradores da região na medida em que empregou diversas pessoas do entorno e vai valorizar o Centro Antigo de Salvador.

Quatro mil trabalhadores em três anos de reconstrução

Durante os quase três anos da reconstrução da arena, quatro mil trabalhadores foram empregados na obra. O empreendimento é uma Parceria Público-Privada (PPP) entre o Governo da Bahia e a Fonte Nova Negócios e Participações (FNP), concessionária formada pelas empresas Odebrecht Participações e Investimentos e OAS. O contrato tem duração de 35 anos.

A Fonte Nova foi inaugurada pela primeira vez em 1951 e reconstruída dentro do caderno de normas e encargos da Federação Internacional de Futebol (Fifa). A reabertura acontece 32 meses após a implosão do antigo estádio, em 29 de agosto de 2010.

Tendo acompanhado toda a reconstrução, o ministro Aldo Rebelo parabenizou operários e responsáveis pela obra. “Salvador é uma cidade habituada aos grandes desafios e a Arena Fonte Nova está à altura do desafio de realizar a Copa das Confederações e a Copa do Mundo”.

Vias estruturantes

No evento de inauguração, o governo federal anunciou investimentos de R$ 1 bilhão em vias estruturantes de Salvador. Fazem parte do conjunto de obras do sistema integrado de mobilidade urbana da capital baiana o complexo de viadutos do Imbuí, além das avenidas 29 de março, Pinto de Aguiar e Gal Costa. 

Publicada às 11h
Atualizada às 16h