Com capacidade de produção de 800 mil toneladas por ano, a empresa CPX Baiana Mineração e Participações Ltda. pretende fabricar cimento, concreto e argamassa no município de Lajedinho, na Chapada Diamantina. Com investimento de quase R$ 500 milhões, os produtos comercializados devem atender à demanda do estado e gerar emprego e renda para a região.

Segundo o presidente do grupo CPX Brasil, Rodrigo Lara, o projeto já está em andamento. “É uma indústria integrada, baseada na mineração de calcário e na fabricação de cimento para abastecimento de toda a Bahia, que é hoje um mercado importador deste produto. Esperamos com esta indústria contribuir para fortalecer o abastecimento deste insumo básico tão importante para a construção civil”.

Serão gerados mil empregos durante a construção e 200 durante a operação do empreendimento, como explicou o prefeito de Lajedinho, Antônio Mário. “Estamos felizes, porque sabemos dos benefícios que serão trazidos para nossa comunidade, além de aumentar o desenvolvimento e atrair empresas de serviços e materiais de construção, entre outras, que se instalarão na cidade, gerando mais empregos”.

Com a presença do governador Jaques Wagner, o protocolo de intenções para implantação da unidade no estado foi assinado nesta terça-feira (11). Próximo ao local das instalações, também será construída uma estrada de acesso à BR-242, o que vai facilitar o tráfego de caminhões.

“O que o governo pode oferecer neste protocolo o fez imediatamente. Ficamos de fazer toda a parte de acesso ao sítio da fábrica, que será executada pela Secretaria de Infraestrutura, além da linha de transmissão de energia, que será realizada e os incentivos fiscais que foram dados pela Secretaria da Indústria, Comércio e Mineração. Portanto, este é um momento muito bom para a Bahia. O setor de mineração tem avançado bastante no estado e estamos incentivando e fazendo a nossa parte”, disse o vice-governador e secretário de Infraestrutura, Otto Alencar.