A comunidade artística e toda a sociedade civil da Bahia acabam de concretizar um importante passo para o desenvolvimento das políticas culturais do estado: a formação dos colegiados setoriais das artes da Bahia, instituídos pela primeira vez. Quinta-feira (13), foi publicado no Diário Oficial do Estado o resultado das eleições que definiram os nomes que vão integrar os sete grupos de representação dos setores artísticos baianos – artes visuais, audiovisual, circo, dança, literatura, música e teatro – no biênio 2013/2014.

Conduzida pela Fundação Cultural do Estado da Bahia (Funceb), a construção dos colegiados está prevista na Lei Orgânica da Cultura da Bahia (Lei nº 12.365, de 22 de novembro de 2011). Os eleitos serão empossados em ato oficial no dia 21 deste mês, às 8h30, no foyer do Teatro Castro Alves, pelo secretário de Cultura, Albino Rubim, e a diretora da Funceb, Nehle Franke.

Entre 22 de novembro e 7 deste mês, os 942 eleitores que se cadastraram para integrar o processo puderam votar nos representantes da sociedade civil que se elegeram à função, através de sistema on-line. Foram registrados 704 votos, apurados e homologados pela comissão organizadora das eleições dos colegiados setoriais das artes da Bahia, na última segunda-feira (10).

Dos 142 candidatos atuantes nos setores artísticos que apresentaram propostas de diretrizes para o desenvolvimento da área de interesse, 84 foram eleitos, 12 para cada setor, sendo seis titulares e seis suplentes.

Ao lado de mais três representantes do poder público indicados pelo secretário de Cultura para cada colegiado, eles vão assumir o papel de orientar e respaldar decisões políticas, atuando como instâncias de consulta, participação e controle social das ações promovidas pelo poder público.

Respeitando a Portaria nº 256/2012, da Secretaria de Cultura (Secult), que estabeleceu as determinações sobre este processo eleitoral, para cada colegiado foram eleitos, como titulares e suplentes, no máximo, três candidatos residentes no Território de Identidade Região Metropolitana de Salvador, como forma de garantir o equilíbrio regional.