Durante a abertura oficial da 12ª Exposição Agropecuária de Entre Rios, na quinta-feira (13), o município foi beneficiado com duas ações importantes, uma econômica e outra histórica. A primeira diz respeito a um protocolo de intenções assinado entre a Secretaria da Agricultura (Seagri) e o Banco do Brasil, no valor de R$ 10 milhões, para fomentar a agropecuária local. A outra é a inauguração de um museu dedicado ao Rei do Baião, Luiz Gonzaga, no dia em que é comemorado o centenário do cantor.

A exposição prossegue até domingo (16), no Parque de Exposições Manoelito Argolo. De acordo com a gerente da agência de Entre Rios, Valdirene de Oliveira Sotero, o banco vai disponibilizar, válidas até 16 de dezembro de 2013, linhas de crédito para investimentos na agropecuária. “O Banco do Brasil está abrindo linhas de crédito para ampliar a atividade e aumentar o volume de negócios”, explicou.

Exposição

A feira acontecia tradicionalmente há três décadas, mas não foi realizada nos últimos cinco anos. O proprietário do parque, Manoelito Argolo, que foi grande amigo de Gonzagão, disse que, a pedido da população, resolveu não apenas reativar a feira, mas deixar um legado que servirá para introduzir Entre Rios no roteiro turístico e cultural da Bahia.

“Construímos uma estátua de Gonzagão e o Espaço Asa Branca, que estará permanentemente aberto, com restaurante e servindo de palco para apresentações musicais, além do Museu Luiz Gonzaga, que disponibilizará um acervo de obras de sua autoria, instrumentos musicais, fotos e objetos”, destacou Argolo.

Para o secretário da Agricultura, Eduardo Salles, a iniciativa de retornar com a feira é um marco importante para a Bahia. “O retorno da exposição é, sem dúvida, uma alegria para todos os agropecuaristas do estado. E resgatar a história de Luiz Gonzaga é reavivar a história do Sertão, de uma pessoa que foi e até hoje é reverenciada por todos os baianos e nordestinos”, pontuou.