A criação e instalação da Universidade Mundial de Segurança e Desenvolvimento Social da Organização das Nações Unidas (ONU) na Bahia atraíram ao Fórum de Salvador pesquisadores e representantes da própria ONU, da Justiça e de outros organismos que atuam na defesa social de 14 países. O evento prossegue até a próxima quarta-feira (30) e foi iniciado nesta segunda-feira (28), no auditório do Ministério Público do Estado, em Salvador, com a presença do vice-governador, Otto Alencar, que representou o governador Jaques Wagner, durante os debates.

Durante os três dias do fórum, gestores estaduais e pesquisadores vão planejar a estrutura e o modelo acadêmico da universidade, definir linhas de estudos e pesquisas e propor o planejamento de políticas públicas de resolução de conflitos, prevenção do crime, controle da violência e defesa dos direitos humanos.

Foro internacional

Além do vice-governador, estiveram presentes, o secretário para Assuntos Internacionais e da Agenda Bahia, Fernando Schimdt, o subsecretário-geral da ONU para Coordenação de Políticas e Agências de Negócios, Thomas Stelzer, o representante da União Europeia, juiz da Suprema Corte de Justiça da França, Jean Paul Laborde, e, entre outras autoridades, a ministra do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Eliana Calmon.

A proposta de criação da Universidade Mundial de Segurança e Desenvolvimento Social é uma iniciativa do Brasil, aprovada em 2011 durante o "Fórum de Bellagio", na Itália. Estudos estão sendo desenvolvidos para que a instituição possa ser sediada na Bahia. A universidade funcionará como um foro da comunidade internacional para disseminação do conhecimento científico e tecnológico em benefício da segurança humana.

Para o secretário estadual para Assuntos Internacionais e da Agenda Bahia e presidente do fórum, Fernando Schimdt, a instalação da universidade na Bahia se ajusta nos esforços que o Governo da Bahia tem empreendido no sentido de construir mecanismos eficazes de combate a criminalidade. “A intenção é que o Fórum de Salvador avance nas discussões e tratativas, a partir do que ficou estabelecido no Fórum de Bellagio, para implementação do projeto de criação da universidade, bem como estabeleça diretrizes a respeito da fundação, financiamento e logística para funcionamento da instituição”, afirmou Schimdt.

O subsecretário-geral da ONU para Coordenação de Políticas e Agências de Negócios, Thomas Stelzer, acredita que a universidade auxilie no desenvolvimento de métodos capazes de subsidiar decisões governamentais na prevenção de controle das várias formas de crimes, conflitos e violência.

Carta de Salvador

O vice-governador, Otto Alencar, informou que no último dia do Fórum de Salvador será elaborada a ‘Carta de Salvador’, contendo os principais motivos e benefícios para a criação e instalação em Salvador da Universidade Mundial de Segurança e Desenvolvimento Social da Organização das Nações Unidas (ONU). Na oportunidade, Alencar citou as ações de melhorias na segurança pública da Bahia adotadas pelo Governo do Estado, como o Programa Pacto pela Vida, a instalação de Bases Comunitárias, programas de combate às drogas e a contratação e valorização de policiais militares.

Publicada às 10h50
Atualizada às 16h30