Captadores de áudio, tablets, navegadores GPS, microcâmeras para veículos, bonés e canetas filmadoras são alguns dos 48 equipamentos eletrônicos de última geração que a Polícia Civil recebeu, nesta sexta-feira (20), do Conselho Comunitário de Segurança Pública (Conseg) de oito cidades do interior, em solenidade no Ministério Público da Bahia. O material é avaliado em R$ 19 mil.

O Conseg foi representado no evento pelo presidente da seção de Ribeira do Pombal, Daniel Aroucha Sant’Anna. O delegado-geral Hélio Jorge Paixão disse que os equipamentos serão destinados ao Departamento de Narcóticos (Denarc) e às Delegacias de Tóxicos e Entorpecentes (DTE) de Salvador e Feira de Santana.

“O emprego dessas novas tecnologias possibilitará às nossas unidades mais agilidade na coleta de provas e maior precisão nas investigações criminais”, disse o delegado-geral, que se mostrou sensibilizado com o gesto dos conselhos de segurança municipais.

Para o diretor do Denarc, delegado Jorge Figueiredo, a aquisição dos aparelhos permitirá uma expansão das ações do departamento para todo o estado, especialmente naquelas regiões, que, além do tráfico, caracterizam-se também pela produção de entorpecentes. “O combate ao narcotráfico tem que ser intenso e ininterrupto. Com o uso desses equipamentos é possível coletar provas técnicas, que sustentem os inquéritos remetidos ao Ministério Público”.

Conciliação

O dinheiro utilizado para a compra dos equipamentos foi arrecadado durante a realização da Semana de Conciliação nos municípios de Irecê, Ipirá, Alagoinhas, Mata de São João, Sapeaçú, Cachoeira, João Dourado e Ribeira do Pombal.

O montante chegou a R$ 54 mil e a diferença, descontando o valor utilizado com o material doado nesta sexta, será destinada à compra de novos equipamentos com o mesmo fim. A entrega será feita em outubro deste ano.

De acordo com a promotora Mônica Barroso Costa, do Centro de Apoio Operacional de Segurança Pública e Defesa Social (Ceosp), a sociedade civil organizada, por meio dos conselhos, reuniu-se com os promotores do Ceosp e definiu onde o dinheiro deveria ser empregado. O presidente do Conseg afirmou que a participação da comunidade junto aos órgãos da segurança pública ajuda no entendimento das necessidades de cada município.