O atendimento oftalmológico oferecido este ano aos alunos do programa Todos pela Alfabetização (Topa) será pago com recursos do Governo do Estado, por meio do Fundo Estadual de Combate e Erradicação da Pobreza (Funcep), gerido pela Casa Civil. Antes, os recursos vinham do Ministério da Saúde. Serão investidos R$ 748 mil em consultas e distribuição de óculos aos pacientes. Além disso, o fundo pagará transporte e lanche aos alunos.

O secretário estadual da Casa Civil, Rui Costa, afirma que o atendimento oftalmológico a esse segmento da população é um quesito indispensável à aprendizagem. “Por isso, o Estado vai arcar com 100% do valor necessário para levar consulta e, se necessário, óculos aos que precisam”, garante Costa.

Gratuita 

A oferta gratuita do atendimento aos beneficiários do Topa faz parte do programa Saúde em Movimento, da Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab), que atende também a população do interior baiano com mais de 60 anos de idade. O cronograma da atual etapa começa no dia 17 de abril e segue até o mês de agosto, passando por 14 cidades – Conceição da Feira, Castro Alves, Tucano, Andaraí, Cordeiros, Mutuípe, Ubaitaba, Valença, Poções, Caturama, Ourolandia, Santana, Wanderley e Casa Nova. Os moradores de municípios vizinhos também podem participar.

Para este ano, estão previstas 21 mil consultas para alunos inscritos no Topa. De acordo com Sesab, 80% dos alunos atendidos precisam usar óculos. Até agora, o programa já realizou atendimentos em 356 dos 417 municípios baianos.