Três projetos desenvolvidos por estudantes da rede estadual de Educação Profissional estão entre os finalistas da Mostra de Talento e Inovação da 10ª Feira Brasileira de Ciências e Engenharia (Febrace). O evento será realizado de terça-feira (13) até sábado (17), na Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP), em São Paulo. Os projetos selecionados, desenvolvidos usando tecnologias sustentáveis de baixo custo, foram escolhidos entre 1.505 inscritos de todo o país.

Os estudantes do 2º ano do curso Técnico em Edificações, do Centro Territorial de Educação Profissional do Semiárido Nordeste II, em Ribeira do Pombal, concorrem com a ‘Casa Ecológica’, construída utilizando materiais reaproveitados como garrafas pet, cordas e madeiras. Os estudantes envolvidos no projeto são Fernando Souza dos Santos, Maria Aparecida Freire Santos e Thainá Alves dos Santos Santa Rosa.

Os estudantes do curso Técnico em Agroindústria, do Colégio Estadual Pio XII, em Jaguaquara, apresentarão o ‘Secador Econômico’ feito à base de papelão, folhas de jornais, plástico e outros materiais reaproveitáveis, como embalagem de alimentos composto por papel laminado. Serve para desidratação de produtos como tomates, transformando-os em tomates secos. Foi desenvolvido pelos estudantes Rafael Costa, Josenira Marques e Cleriston Santos de Jesus.

O outro projeto também dos estudantes do Técnico em Agroindústria, do Pio XII, Maílson Silva Santos, Alana Araújo Rodrigues e João Pedro Sena Santos, é o biodigestor ativado por esterco bovino, água e vegetais, gerando o biogás. Maílson explica que a ideia surgiu para evitar o descarte inadequado dos legumes, frutas e hortaliças, oriundos do setor hortigranjeiro do município.

Formação Integral 

Na rede estadual, a Educação Profissional tem o trabalho como princípio educativo, a intervenção social como princípio pedagógico e visa à formação integral dos estudantes, articulando as diferentes formas de educação, trabalho, ciência e tecnologia. A professora Valéria Maria Souza Brito, orientadora do projeto ‘Secador Econômico’, ressalta que incentivar os estudantes na participação de atividade de extensão como a Febrace é um dos papéis da rede, objetivando essa formação.

“Temos a obrigação de incentivar nossos estudantes para a construção de um mundo melhor. A formação que recebem, pautada na Educação Profissional, possibilita que tenham um aprendizado interdisciplinar visando à melhoria da sociedade em que vivem”, disse Valéria.

A orientadora da ‘Casa Ecológica’, Maria José Silva Almeida, explica que o projeto é o modelo ideal para corresponder às necessidades de uma sociedade que tanto prega a sustentabilidade. Para ela, reaproveitar garrafas pet na construção de casas é uma alternativa sustentável por dar utilidade a todo esse material usado indiscriminadamente pela sociedade de consumo.

“O nosso projeto demonstra que existe a possibilidade de reduzir o lixo nos aterros sanitários, além de apontar as suas consequências nos processos de decomposição de materiais orgânicos. É um processo econômico, pois consome apenas 30% da energia necessária para produção da maneira prima”, justifica Maria José.