Iniciadas no último dia 15, as ações do programa do governo estadual Saúde em Movimento em São Francisco do Conde, município do Recôncavo baiano, terminam nesta quarta-feira (21), com mais de 15 mil atendimentos oftalmológicos gratuitos, entre consultas, exames e cirurgias. Além da população do município, moradores de localidades próximas, como as cidades de Santo Amaro, Saubara e Madre de Deus, também foram contemplados com os serviços prestados pelo programa, inclusive cirurgia de catarata. Boa parte dos pacientes que procuraram o serviço eram portadores da doença, principal causa de cegueira curável, que atinge sobretudo pessoas acima de 60 anos.

O problema é corrigido por meio de cirurgia realizada gratuitamente pelo Programa Saúde em Movimento como fez dona Idália Santos, que só agora descobriu a doença. “Acabei descobrindo a catarata, mas a equipe médica me orientou e conduziu, fiz a cirurgia e agora enxergo normalmente”.

Primeiro contato

Alguns pacientes tiveram o primeiro contato com um oftalmologista durante a passagem do programa pelo município. É o caso de Nivaldo Santos Silva, 76. “Nunca tinha feito um exame na vida, sabia que não estava enxergando bem de perto, mas nem sabia que se tratava de catarata. Vim aqui, fiz os procedimentos e estou curado”.

Pelo menos seis mil atendimentos foram efetuados em pessoas de 40 a 59 anos e, para aqueles acima de 60 anos, o número foi ainda maior, cerca de sete mil procedimentos entre consultas e exames. Os pacientes passaram por uma triagem para identificação dos problemas oculares, cadastramento e exames como biometria, medição de pressão arterial e glicemia.

Cerca de 1.100 pessoas foram encaminhadas para a cirurgia e em menos de 10 minutos elas saíram enxergando. Manuel Araújo dos Santos, 69, comemora. “Estou muito feliz, é uma alegria tão grande. Operei as duas vistas e me sinto jovem de novo”.

Sucesso 

De acordo com informações da coordenadora da equipe médica do programa, Fabíola Mansur, a etapa de São Francisco do Conde foi dividida em três fases. “Ultrapassamos 15 mil procedimentos realizados entre consultas, exames e cirurgias.” Segundo ela, o programa beneficiou os pacientes acima de 60 anos, identificando os portadores de catarata. “Também beneficiamos a faixa etária de 40 a 59 anos, portadores da vista cansada, glaucoma, retinopatia diabética, e finalizamos com as crianças entre 7 e 16 anos, foi realmente um sucesso”.