Os moradores do Calabar comemoraram nesta quarta-feira (27) a instalação da sua Base Comunitária de Segurança, a primeira de Salvador. Ela vai funcionar, provisoriamente, na associação de moradores do bairro, com um efetivo de 120 policiais militares, três carros e três motos, até a construção da sede própria.

Outros bairros de Salvador também serão beneficiados, a exemplo do Nordeste de Amaralina, Tancredo Neves e Fazenda Coutos. A previsão é que 34 Bases sejam implantadas no estado até 2013 – 20 em Salvador e 14 no interior. Quatro Bases ficarão em Feira de Santana. Elas serão fixadas em pontos estratégicos e vão abranger uma área de dois quilômetros quadrados.

Para que a Base Comunitária de Segurança se tornasse uma realidade na comunidade do Calabar, policiais do Batalhão de Choque fizeram ocupação do local no final de março. Quatro pessoas foram presas durante a operação. A estratégia de instalação das bases seguiu quatro ações: investigação, intervenção, ocupação e instalação.

Mas o objetivo não é apenas dar mais segurança à população. É também oferecer mais dignidade, por meio de ações sociais. Desde a ocupação, os moradores se sentem mais seguros no Calabar e afirmam que a rotina mudou para melhor.

A líder comunitária Maria de Fátima Gavião, presidente da Associação de Moradores do Calabar, afirmou que agora, com a garantia de mais segurança, a maior expectativa é com a concretização das políticas sociais. “Temos certeza que este é o primeiro passo para que os moradores possam ser beneficiados com políticas públicas em diversas áreas. O governo tem demonstrado este empenho. Estamos em um momento de discussão, sempre conversando com as secretarias. Este é o começo para dias melhores”.

Com a Base Comunitária de Segurança diversos serviços públicos serão prestados. Entre as ações, estão relacionados emprego e renda, ciências e tecnologia, justiça e cidadania, desenvolvimento social e cultura.

Sem renda mensal fixa, a costureira Cristiene Lima criou o filho na comunidade “com muita luta e suor” para que ele não se envolvesse com o tráfico. Agora com dois netos, um de 11 meses e outro de três anos, ela declarou que espera que as crianças cresçam num bairro com mais oportunidades e segurança. “Nossa comunidade tem saído mais de casa, procurado se divertir. Quero que permaneça assim, para que meus netos cresçam num lugar tranquilo”.

Ações de melhoria

Entre as ações de melhoria implementadas pela Base Comunitária de Segurança, estão as do Centro Digital de Cidadania que funciona na Associação de Moradores do Calabar. Com dez computadores conectados à internet banda larga, o CDC poderá ser utilizado por qualquer morador do bairro.

Na área de justiça e cidadania, a comunidade contará com o atendimento da Ouvidoria, que funcionará no local. Por meio do equipamento, a população poderá fazer denúncias de violação dos direitos humanos.

Os moradores também poderão se cadastrar no Bolsa Família, programa do governo federal. Para isso, em 15 de maio, a Secretaria de Desenvolvimento Social e Combate à Pobreza (Sedes) promove um mutirão para ampliar o número de beneficiados.

Na área da educação serão abertas 60 vagas para curso técnico de enfermagem e 160 para o Projovem, além de curso de telemática e administração. As aulas devem começar no segundo semestre deste ano. Será implantado ainda o programa Todos pela Alfabetização (Topa).

“Estou fazendo um desafio aos moradores, que é o de transformar o Calabar num bairro livre do analfabetismo, cadastrando os que necessitam ser alfabetizados no Topa. Antes mesmo da implantação desta base, já estamos colhendo resultados positivos por causa da ocupação realizada pela polícia. Conversei com os moradores e eles me disseram que estão andando com mais tranquilidade pelas ruas, sentindo-se mais seguros”, declarou o governador Jaques Wagner.

Nesta quinta (28) e na sexta-feira, a Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (Setre) abre inscrições para o Projovem Trabalhador, disponibilizando 55 vagas.

Capacitação

Os PMs que vão atuar na base do Calabar foram capacitados em policiamento comunitário e em direitos humanos. Eles estão divididos em escalas de 12 horas contínuas. A comandante das bases de segurança, capitã Maria Oliveira, afirmou que os policiais vão atuar com mais contato com a população. “Este é um grande desafio, porque teremos que conquistar esta comunidade para termos sucesso na execução do projeto. Os policiais estão ansiosos e motivados para começar este trabalho”.

O secretário da Segurança Pública, Maurício Teles Barbosa, explicou que, além do policiamento ostensivo, sete câmeras digitais vão monitorar o Calabar a partir de pontos estratégicos. São quatro câmeras instaladas dentro do bairro e outras três no entorno. No total, foram instalados 1.200 metros de fibra ótica para possibilitar a transmissão de dados e captura das imagens à Superintendência de Inteligência da SSP, à Central da Polícia Civil e ao Comando Geral da Policia Militar.

A implantação das Bases Comunitárias de Segurança é uma das ações previstas no programa Pacto pela Vida e visa impedir a ação de traficantes no local, realizando um trabalho preventivo de combate ao crime e à violência.

A inauguração da Base do Calabar contou com a presença do secretário da Segurança Pública do Rio de Janeiro, José Mariano Beltrame, que parabenizou a Bahia pela iniciativa. O Rio foi a primeira cidade brasileira a implantar uma base de segurança em bairros com alto índice de criminalidade. Ele disse que a metodologia de policiamento comunitário é eficaz e é adotada em vários países.

“Em pouco tempo pude perceber que a metodologia aplicada na Bahia tem dado certo. Acho que a ação deve ocorrer em diversos estados brasileiros, mas, claro, adaptada a cada realidade, para que os resultados apareçam”, afirmou Beltrame.

Pacto pela Vida

Para reduzir os índices de crimes contra a vida, o programa combina maior eficiência na área da segurança, atuação conjunta de órgãos de diversas esferas de poder na prestação de serviços públicos e colaboração da sociedade com sugestões e críticas sobre os problemas das comunidades.

A instalação das Bases Comunitárias de Segurança pela Polícia Militar e a reestruturação do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) pela Polícia Civil, cuja sede foi inaugurada na semana passada, estão entre as ações prioritárias.

Articulado com as demais secretarias de Estado, o Pacto pela Vida prevê câmaras setoriais para desenvolver políticas públicas como as de segurança, defesa social, enfrentamento ao crack e atuação do Ministério Público e Poder Judiciário.

Publicada às 10h35
Atualizada às 14h45