A captação da abertura da Copa de 2014 para Salvador foi o tema de uma reunião realizada na quarta-feira (19), no Centro de Convenções da Bahia, com a participação de representantes da Secretaria Extraordinária da Copa 2014 (Secopa) e de segmentos do turismo baiano.

Durante o encontro, foram abordadas as estratégias de promoção e captação do jogo de abertura da Copa em Salvador, que deverá trazer à Bahia cerca de 40 chefes de Estado. Segundo o titular Secopa, Ney Campello, o jogo de abertura, a festa e o congresso internacional atraem chefes de Estado e diferentes entidades esportivas. “Isso representa um importante motivo para baianos e nordestinos se mobilizarem para trazer o jogo de abertura para Salvador, que possui os requisitos necessários para vencer essa disputa”.

Riqueza cultural
Luiz Henrique do Amaral, presidente da Associação Brasileira de Restaurantes e Empresas de Entretenimento e Lazer (Abrasel), da seção Bahia, aposta no profissionalismo para trazer o evento à capital baiana. “O Convention é um captador de eventos, por isso estamos focando nisso. A abertura da Copa é um evento que vai ficar para a história, tem que haver muito profissionalismo para que dê tudo certo. Para isso contamos com as entidades do trade para essa campanha de captação”, disse.

O presidente executivo do Convention, Pedro Costa, ressaltou a riqueza cultural, a gastronomia, as paisagens e a hospitalidade do povo baiano, além do apoio de outros estados do Nordeste. Emília Salvador Silva, presidente da Bahiatursa, também falou sobre a possibilidade da abertura da Copa ser em Salvador. “Será um momento ímpar para receber os turistas que vêm à Bahia, sobretudo por que devemos divulgar os destinos turísticos de todo o estado. Não só Salvador deve se beneficiar da Copa, mas a Bahia como um todo”.

Já o presidente do Conselho Baiano de Turismo, Sílvio Pessoa, tratou de um ponto favorável a Salvador nessa disputa: a capacidade hoteleira, que segundo ele, está acima da necessária. Concluiu lembrando que a capacitação é extremamente importante, porque precisa-se de excelência.

Segundo informações da Consultoria Ernest &Young, a Copa do Mundo de 2014 vai gerar uma receita de R$ 142 bilhões adicionais para a economia brasileira, devendo atrair 600 mil turistas estrangeiros e movimentar três milhões de brasileiros pelas sedes do evento.

O conceito da campanha foi apresentado pela equipe OCP Comunicação, cujo aspecto fundamental é demonstrar que a cidade que realiza um carnaval, estará apta para realizar a Abertura da Copa. O jingle da campanha, anteriormente apresentado no II Fórum Copa Bahia 2014, resume o desejo de que a Copa comece aqui: “O primeiro passe, o primeiro drible, o primeiro gol, tem que ser em Salvador”.