Criar um elo social para desenvolver a cidadania em comunidades carentes. Este é o mote do projeto Ações de Cidadania. As Voluntárias Sociais da Bahia, em parceria com a Escola Municipal Carlos Murion, secretarias estaduais do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (Setre) e da Administração (Saeb) e Secretaria Municipal do Trabalho, Assistência Social e Direitos do Cidadão (Setad), realizaram nesta quarta-feira (17), ações de cidadania e orientação em saúde para a comunidade carente de Pituaçu, Boca do Rio e Patamares.

Em sua segunda edição, o projeto Ações de Cidadania estima atender cerca de 400 pessoas. “Emissão de carteira profissional, agendamento para a segunda via da identidade, informações sobre serviços oferecidos pelo SAC, orientações sobre saúde sexual e reprodutiva, combate ao mosquito da dengue, formação para o trabalho, Programa de Erradicação do Trabalho Infantil e cadastro e atualização do programa Bolsa Família”, enumerou a coordenadora de Capacitação Profissional das Voluntárias, Rita Loureiro, destacando as principais ações desenvolvidas.

O SAC ofereceu serviços de triagem e agendamento para emissão da segunda via da identidade, com a garantia de produzir 150 documentos. Por meio da Setad, atendimentos foram oferecidos sobre o Bolsa Família, com cadastro e atualização dos dados, avaliação nutricional, esclarecimentos sobre o Programa de Erradicação do Trabalho Infantil, além da presença do Centro de Referência em Assistência Social (Cras).

Moradores do entorno contaram ainda com oficinas de ikebana e muitos colocaram literalmente a mão na terra com a realização de uma horta caseira, utilizando garrafas PET. Mães e filhas aproveitaram para melhorar o visual no espaço de estética e puderam cortar o cabelo e realçar as tranças.

Segundo a diretora da Escola Municipal Carlos Murion, Tereza Cristina, as atividades refletem na educação das crianças. “Abrimos as portas da escola para a comunidade. Hoje, estamos sanando algumas necessidades recorrentes. Os pais se percebem como autores e colaboradores dessa produção e na própria educação de seus filhos”.

Mãe de duas crianças que estudam na Carlos Murion, Márcia Maria gastou só cinco minutos para resolver algumas pendências e prometeu avisar às amigas. “Tirei minha segunda via da identidade e foi tudo muito rápido. Agora quero trazer meu filho para cortar o cabelo”.