O Comitê Estadual de Prevenção e Combate aos Incêndios Florestais da Bahia realizou segunda-feira (14) a primeira reunião para o planejamento das ações este ano. O objetivo do grupo, formado por nove secretarias, é propor políticas e adotar medidas para a prevenção, proteção, monitoramento e combate aos incêndios florestais, principalmente na região da Chapada Diamantina.

Em 2008, a Bahia se destacou como o terceiro estado que mais teve incêndios – em 2009 sua posição foi a quinta. Na região da Chapada Diamantina é comum entre os meses de agosto, setembro e outubro haver queimadas, pois se trata do período mais seco e quente do ano.
Entre os principais causadores de incêndio nas matas estão as pontas de cigarro jogadas no chão, principalmente na estrada, e a utilização da técnica de queimar a vegetação para preparar o solo para o plantio, muito usada pelos agricultores.

Segundo o superintendente de Políticas Florestais da Secretaria Estadual do Meio Ambiente (Sema), Plínio Castro, as ações para este ano devem ser elaboradas baseando-se na boa experiência obtida em 2009.

“Nossa expectativa é de que possamos desenvolver ações conjuntas de prevenção, com as diversas instituições envolvidas, e preparar um plano de combate a incêndios melhor estruturado, pois já se verificou, após várias discussões, avanços significativos, levando em consideração até a própria criação do comitê”, explicou Castro.

O Sistema Nacional de Prevenção e Combate aos Incêndios Florestais (Prevfogo), sob a coordenação do Instituto Nacional do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), também trabalhará na prevenção e combate às queimadas.

Mas, como explicou o representante do Ibama, Denílson Oliveira, os municípios que terão as bases foram escolhidos por critério técnico. “O Prevfogo, este ano, estará presente em Mucugê, Xique-Xique, Barreiras, Pilão Arcado, Prado, Porto Seguro e Barra”, informou.

A boa notícia anunciada na reunião é que 25 prefeituras da Chapada Diamantina assinaram convênio com a Coordenação de Defesa Civil do Estado da Bahia (Cordec) para que sejam transferidos recursos do Estado para desenvolver ações conjuntas na região.