A transferência do Governo do Estado para o município de Cachoeira acontece todo ano. Durante o ato, que lembra a luta pela Independência da Bahia, são inauguradas obras e lançadas diversas ações em benefício dos cachoeiranos e moradores do Recôncavo baiano. Nesta sexta-feira (25) uma salva de tiros às 6h deu inicio às comemorações na cidade, acordando os moradores e visitantes.

O momento cívico ficou por conta do hasteamento das bandeiras nacional, estadual e municipal, na Praça da Aclamação, com a presença do governador Jaques Wagner, do secretariado e demais autoridades. Muita gente mostrou patriotismo e o orgulho de fazer parte da cidade que teve participação ativa na libertação do estado.

Morador de Cachoeira, o comerciante Orlando Moreira Sacramento, 55 anos, participa de todos os atos em comemoração ao 25 de junho, e fala com orgulho da história gloriosa da Bahia, que o município ajudou a traçar. Ele relembra que, na época de estudante, a história sobre a independência da Bahia fazia parte do currículo e o Hino de Cachoeira era cantado pelos alunos.

“Até hoje me sinto feliz por fazer parte desta terra. É preciso lembrarmos de nossa história. Desta data magna que foi a guerra de libertação da Bahia. Nossa cidade é diferente das outras porque foi aqui que tudo começou. Se a Bahia é independente, deve-se a Cachoeira e ao Recôncavo”, disse Sacramento.

Um clima de emoção marcou a missa solene no Convento do Carmo, especialmente o ato litúrgico ‘Te Deum’. Fiéis de todas as idades não mediram esforços para acompanhar de pertinho a cerimônia em homenagem a data.

Dona Agripina Pereira, 79 anos, prestava atenção a cada palavra do monsenhor Walter Jorge Pinto, e as lágrimas desciam revelando a alegria de participar mais uma vez da celebração. “Sempre assisto a missa. Este é um momento impar. É dia de comemorarmos a liberdade, a vida. Porque com a independência, a Bahia foi redescoberta, desta vez pelos próprios baianos”, afirmou.

Com um terço na mão, dona Agripina não esqueceu de pedir a Deus mais vitórias para a Bahia. “A vitória baiana significou muito para todos os baianos e para o Brasil. Por isso, sempre peço a Deus graças e força para todo povo da Bahia”, disse.

Lembranças da história da Bahia e do Brasil

O ato de transferir o gabinete do governo para Cachoeira cumpre o que está previsto na Lei 10.695/07, aprovada pela Assembleia Legislativa da Bahia e sancionada pelo governador Jaques Wagner. O decreto determina que todos os anos, em 25 de junho, a sede do governo seja instalada no município. A data lembra a participação decisiva dos cachoeiranos nas lutas pela libertação, no ano 1822, que culminaram com o 2 de Julho. Em 2010 Cachoeira comemora 188 anos da independência de Portugal.

A cidade abrigou pela primeira vez a sede do Governo da Bahia em 2008. "Esse é um momento de lembranças da história da Bahia e do Brasil, quando homenageamos homens e mulheres que deram a vida por este estado. Por isso estamos aqui hoje comemorando e lembrando essa data importante. Tenho certeza que a Bahia está tendo outras vitórias e que conseguiremos outras", disse o governador Jaques Wagner.

A programação do governo estadual desta vez incluiu a requalificação da orla de São Félix. Com investimento de R$ 2,4 milhões, as obras complementam as ações do Programa Monumenta. Na sessão solene na Câmara Municipal foi assinado decreto que institui a Festa da Boa Morte como Patrimônio Imaterial da Bahia. A homenagem foi encerrada com o desfile cívico pelas ruas de Cachoeira ao som de filarmônicas e fanfarras.