O Governo da Bahia anunciou na tarde desta sexta-feira (18), em Ilhéus, investimentos de R$ 2 bilhões na região cacaueira para implantação da siderúrgica Sul Americana de Metais, joint venture entre o grupo brasileiro Votorantim e as empresas chinesas Honbridge Holdings e Xin Wen Mining Group para a produção de 7 milhões de toneladas/ano de pelotas de ferro, com a geração de 460 empregos diretos e cerca de 4.200 indiretos.

Com mais esse empreendimento, já somam R$ 14,18 bilhões os investimentos previstos para a próxima década na Região Cacaueira, incluindo-se a Ferrovia Oeste-Leste, o Porto Sul, o novo Aeroporto de Ilhéus, a ZPE e a duplicação da BR-415 (Ilhéus-Itabuna).

A assinatura do protocolo de intenções ocorreu durante a realização do Seminário Complexo Porto Sul, realizado no Centro de Convenções de Ilhéus, com a participação de representantes do Governo do Estado, Prefeitura de Ilhéus, Valec, Infraero, Dnit, Bahiagas, ZPE e Bahia Mineração.

No documento, a Sul Americana de Metais se compromete a implantar um mineroduto, uma siderurgia para a produção de pelotas de ferro e um terminal portuário privativo. Assinaram o documento, pelo Governo da Bahia, os secretários James Correia, da Indústria, Comércio e Mineração, e Roberto Benjamin, da Indústria Naval e Portuária. Pela Sul Americana, Haroldo Fleischfresser, da Votorantim, e Lang Qingtian, da Xin Wen Mining Group. O ato contou com a presença do prefeito de Ilhéus, Newton Lima, e do empresário João Carlos Cavalcanti.

“Esse novo investimento da Votorantim e do grupo chinês Xin Wen Mining só reforça a importância do Complexo Porto Sul. Será uma verdadeira revolução na economia da região. Com o novo porto, a ferrovia e o novo aeroporto, Ilhéus, Itabuna e toda a zona cacaueira irão experimentar um progresso gigantesco. São projetos de longa maturação, estruturantes, mas fundamentais para o desenvolvimento da Bahia”, comemorou o secretário James Correia.

Para o secretário Roberto Benjamin, o investimento anunciado torna irreversível o projeto do Complexo Porto Sul. “Os críticos diziam que o projeto era apenas para favorecer a Bahia Mineração. Agora, com certeza, vão perder o discurso”, comentou o secretário da Indústria Naval e Portuária.

Os investimentos do grupo sino-brasileiro também confirmam o crescimento da mineração na Bahia, somando-se aos R$ 3,6 bilhões da Bahia Mineração, em Caetité; R$ 450 milhões da australiana Mirabela, em Itagibá; e R$ 216 milhões da canadense Largo Mineração, em Maracás.

Água para a Ponta da Tulha

Pela manhã, antes da realização do Seminário Complexo Porto Sul, os secretários James Correia e Roberto Benjamin anunciaram no distrito de Ponta da Tulha, em Ilhéus, a instalação do sistema de abastecimento de água para atendimento aos quatro mil habitantes do distrito, onde serão implantados os terminais portuários off shore do Porto Sul. A Bahia Mineração, por sua vez, anunciou a construção de uma nova escola para a comunidade.

“O Porto Sul ainda é um projeto, mas já traz benefícios para a nossa comunidade. A água era um pedido que já completava mais de 20 anos. O Porto Sul é a nossa redenção”, destacou o líder comunitário Hilário dos Anjos, proprietário de um mercadinho na Tulha.

Para os jovens da região, o Porto Sul é a esperança por novas oportunidades de empregos. “Com esses novos empreendimentos, não vamos mais precisar sair de nossa cidade para procurar emprego em outro local. Podemos estudar e construir nossas vidas por aqui, com dignidade”, disse a presidente da Associação dos Estudantes Secundaristas de Ilhéus, Kaliny Viana, nascida na Ponta da Tulha.